Última hora
This content is not available in your region

Geórgia: Charles Michel começa digressão por ex-repúblicas soviéticas

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva  & Andrei Beketov, Leo Sikharulidze
euronews_icons_loading
Geórgia: Charles Michel começa digressão por ex-repúblicas soviéticas
Direitos de autor  AFP PHOTO / Georgian Presidential press service
Tamanho do texto Aa Aa

Num momento de grande tensão entre a União Europeia e a Rússia, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, decidiu realizar uma digressão pela Europa de Leste, que passa pela Geórgia, Moldávia e Ucrânia.

Na linha de fronteira administrativa com a região separatista da Ossétia do Sul, controlada pela Rússia, Charles Michel deixou uma mensagem de apoio à Geórgia, primeiro país que visitou.

“A União Europeia está empenhada na soberania e na integridade territorial da Geórgia. Também é importante realçar o papel desempenhado pela missão de Monitorização Europeia para tentar manter, tanto quanto possível, a estabilidade e criar medidas de reforço da confiança", disse Charles Michel.

As três ex-repúblicas soviéticas que o presidente do Conselho Europeu visita continuam a ter contendas territoriais e militares com a Rússia.

A Rússia sente-se um pouco insatisfeita, para usar um eufemismo, com o facto destes países quererem aproximar-se da União Europeia.
Marc Franco
Analista político, Instituto Egmont

A aproximação à União Europeia, diplomática ou financeiramente, é muito mal vista pelo governo russo, mas o bloco europeu tenta cada vez mais marcar a sua posição, diz o analista político Marc Franco, do Instituto Egmont: "Há uma competição geopolítica entre os dois blocos porque ambos querem ter mais influência sobre o que apelidam de vizinhos próximos".

"A Rússia sente-se um pouco insatisfeita, para usar um eufemismo, com o facto destes países quererem aproximar-se da União Europeia, que por seu lado lhes responde de forma positiva e proativa para que haja essa aproximação à União", acrescentou Marc Franco, em entrevista à euronews.

Mediação direta em Tblisi

A visita de Charles Michel tem como pano de fundo a crise política na Geórgia, que se intensificou após a prisão do líder da oposição, Nika Melia. O Presidente do Conselho Europeu teve reuniões com ambas as partes e está disponível para servir de mediador.

“A visita do presidente do Conselho Europeu surge no meio de fortes tensões entre o partido no poder e a oposição unida. A União Europeia tem apelado ao diálogo e também feito mediação, mas ainda não foi alcançado um acordo. O povo da Geórgia manifestou a esperança de que a visita de Charles Michel ajude as partes a encontrarem um terreno comum e a retomarem o trabalho em prol de um futuro democrático na Geórgia", acrescenta Leo Sikharulidze, correspondente da euronews em Tbilisi, capital da Geórgia.