Última hora
This content is not available in your region

Sete anos depois do desaparecimento do voo MH370

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines
Desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines   -   Direitos de autor  Joshua Paul/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Sete anos depois do desaparecimento do voo MH370, as famílias das vítimas ainda desconhecem a verdade sobre o caso.

Duzentas e trinta e nove pessoas estavam a bordo do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que saiu de Kuala Lumpur com destino a Pequim, mas rapidamente ficou sem comunicações e desapareceu dos radares.

A investigação oficial concluiu que se tratou de um acidente no Oceano Índico, mas não conseguiu determinar as causas. Entre as hipóteses avançadas está um incidente técnico ou um desvio. O avião transportava principalmente cidadãos chineses e malaios, mas também quatro cidadãos franceses.

Tem vindo a sublinhar as inconsistências da investigação e a falta de provas desde o início e está convencido que a verdade está a ser escondida das famílias.

Muito provavelmente, na minha opinião, caiu perto de onde se perdeu no Mar da China por razões militares. Há duas razões possíveis na minha opinião: havia alguém, algo no avião que não devia chegar a Pequim e o avião tinha de ser abatido. A segunda razão é que sabemos que havia grandes manobras militares na área naquela altura, envolvendo um grande número de países -países asiáticos e os Estados Unidos. Havia muitos aviões militares a voar nessa altura.
Ghyslain Wattrelos
Marido e pai de vítimas

Com o avião e os corpos desaparecidos, as famílias das vítimas enfrentam um luto impossível. Nos meses que se seguiram ao desaparecimento do avião, Guislain Wattrellos recebeu mensagens dizendo que os passageiros estavam a ser mantidos prisioneiros no Paquistão ou na Birmânia. Com o tempo, teve de aceitar que talvez nunca saiba exatamente o que aconteceu.