Última hora
This content is not available in your region

Dezenas de mortos nos protestos em Myanmar

euronews_icons_loading
Dezenas de mortos nos protestos em Myanmar
Direitos de autor  (AP/AP)
Tamanho do texto Aa Aa

A junta militar que ocupa o poder em Myanmar declarou a lei marcial em parte da capital, Rangum, na sequência da morte de, pelo menos, 39 pessoas nas manifestações que se multiplicam um pouco por todo o país.

De acordo com a comunicação social local, as autoridades têm usado fogo real para dispersar os manifestantes. Com o balanço apresentado pela Associação para a Assistência de Presos Políticos do Myanmar, haverá já mais de uma centena de mortos desde a tomada de poder dos militares, no início de fevereiro.

Mahn Win Khaing Than, nomeado líder do governo civil após Aung San Suu Kyi ter sido detida e que se encontra escondido dos militares, dirigiu-se à população pela primeira vez através das redes sociais para lamentar o momento mais negro do país e apelar à revolta.

A junta militar já veio avisar que qualquer pessoa envolvida com este governo paralelo seria acusada de traição e arriscava pena de morte.