Última hora
This content is not available in your region

River'Tri, um centro de reciclagem flutuante

euronews_icons_loading
River'Tri, um centro de reciclagem flutuante
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O River'Tri acaba de atracar no cais do Saône em Lyon. É o primeiro centro de reciclagem fluvial e efémero da Europa.

Lyon, a segunda maior aglomeração de França, tem apenas dois centros de recolha de resíduos no centro da cidade. Para satisfazer esta necessidade, criou um centro flutuante no coração da cidade. A instalação demora 30 minutos. Os cidadãos podem deixar os objetos volumosos todos os sábados aqui em vez de o fazerem na rua: "Eu tinha uma casota de cão. Havia uma parte que não era de madeira, por isso tive de a por nos objetos volumosos. Acho que a pré-seleção está muito bem feita; por isso hei de voltar. O acolhimento é muito agradável e a forma como tudo está organizado é muito ergonómica, há um fluxo, corre tudo muito bem", diz Michel, utilizador do dispositivo.

Como ele, 5.000 utilizadores são servidos todos os anos e o River'Tri recolhe 300 toneladas de resíduos por ano. Este projeto começou em 2016 como uma experiência por dois anos, com um orçamento de 1,8 milhões de euros, dos quais 36,7% é financiado pela Política de Coesão Europeia.

Desde então, este serviço, encomendado às empresas Suez e CFT por um montante anual de aproximadamente 500 mil euros, é suportado apenas pelo Métropole de Lyon, com o projeto de ter outros pontos de amarração e subir a tonelagem recolhida para 1000 toneladas por ano, pelo mesmo custo.

A barcaça está equipada com contentores que permitem que a carga seja acondicionada uniformemente e os utilizadores não sofram de dores nas costas quando esvaziam os resíduos. Soluções encontradas pela Suez, que iniciou o projeto. O River'`Tri também é inovador por outras razões.

"É inovador porque utilizamos os rios, o que não é muito comum em Lyon. Significa que podemos evitar camiões na estrada. Ajuda a preservar o ambiente", diz Aurélie Pavageau, presidente da SITA Lyon-Suez.

Às 17:50, o River'Tri solta as amarras e a população de Lyon pode voltar a usar esta parte do cais para outras coisas. Cerca de cinco quilómetros a jusante, os velhos objetos são colocados em contentores e entram nos canais de reciclagem, como este centro em Meyzieu. 90% da madeira recuperada no centro de recolha é triturada e terá uma segunda vida.

Stéphane Duru, chefe da Unidade de Tratamento e Reciclagem do Departamento de Água e Resíduos da Metrópole de Lyon, explica: "Será usada, por exemplo, para fazer cozinhas, casas de banho, armários e placas de aglomerado de madeira que pode encontrar nas lojas de bricolage. Quando temos madeira de menor qualidade, transformamo-la em lascas de madeira, utilizadas como combustível".

O barco, o rio e os cidadãos são peças na engrenagem da economia circular desta conurbação francesa com mais de 1,3 milhões de habitantes.

Nome do jornalista • Ricardo Figueira