Última hora
This content is not available in your region

Caboverdianos elegem "caminho seguro" de Ulisses Correia e Silva

euronews_icons_loading
Líder do MpD é reconduzido para continuar a governar Cabo Verde
Líder do MpD é reconduzido para continuar a governar Cabo Verde   -   Direitos de autor  Seyllou / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Cabo verde decidiu este domingo seguir "o caminho seguro", o lema de campanha do Movimento para a Democracia, o partido de centro-direita reeleito este domingo para continuar a governar o arquipélago crioulo.

Com 49,1% dos votos garantido quando estavam contabilizados 97% dos escrutínio, Ulisses Correia e Silva foi o vencedor da noite eleitoral, uma repetição do sucedido há cinco anos quando recuperou o Governo para o MpD após 15 anos na oposição, e vai continuar à frente do executivo.

O vencedor foi já felicitado pelo homólogo de Portugal, António Costa.

No discurso de vitória, o primeiro-ministro reeleito agradeceu à confiança dos caboverdianos.

"Foi uma grande vitória. A vitória de Cabo Verde. Estávamos à espera desta vitoria porque fizemos uma boa campanha, um bom combate. Conseguimos convencer os caboverdianos da justeza daquilo do que foi o percurso da governação, numa situação muito difícil, e da justeza das nossas propostas para o futuro", afirmou Ulisses Correia e Silva.

O vencedor não deixou porém de deixar recados aos vencidos, em especial ao Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV). "É uma lição para esta oposição. Cabo Verde precisa de oposição forte mas responsável e com sentido de estado", atirou o vencedor, considerando que ter havido uma campanha "de terra queimada, pouco contributiva, negacionista e de ataque ao país."

A força de centro-esquerda tinha algumas ambições neste escrutínio de recuperar o poder, mas o lema "Cabo Verde para Todos" não atraiu sequer 40% dos votos e poderá nem chegar aos 30 deputados

A líder do PAIVC, Janira Hopffer Almada, assumiu as responsabilidades da derrota e, tal como há quatro anos, anunciou que vai voltar a colocar o lugar à disposição.

Estas eleições ficaram marcadas pelas restrições da Covid-19, o que vai obrigar a suspender as aulas esta segunda-feira para se poder proceder à desinfeção das salas onde estiveram colocadas as urnas de voto.

Editor de vídeo • Francisco Marques

Outras fontes • A Semana, Infor Press