Última hora
This content is not available in your region

Ativista Loujain Alhathloul vence prémio Václav Havel 2020

euronews_icons_loading
Ativista Loujain Alhathloul vence prémio Václav Havel 2020
Direitos de autor  Euronews vía agencias
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento do Conselho da Europa decidiu atribuir o prémio de Direitos Humanos Václav Havel 2020 a Loujain Alhathloul.

A ativista saudita, de 31 anos, tornou-se conhecida pela luta pelos direitos das mulheres, nomeadamente o de conduzir na Arábia Saudita.

Foi detida em 2018 devido a uma viagem de carro e em dezembro foi condenada no quadro de uma lei ampla de contraterrorismo.

A mensagem de agradecimento pela distinção coube à irmã da vencedora, Lina Alhathloul.

"A Loujain não pode estar presente porque, embora já tenha sido libertada da prisão, ela ainda está silenciada dentro do país.

"A minha irmã Loujain passou 1.001 dias na prisão. O crime dela? Lutar pelos direitos das mulheres na Arábia Saudita.

"Loujain sacrificou-se na luta por uma vida melhor para as mulheres sauditas.

"Fez campanha pelo direito de conduzir, pela proteção das mulheres contra os abusos e pelo fim do sistema de controlo pelos homens.

"Devido ao ativismo dela, Loujain foi raptada, impedida de concluir os estudos, presa de forma ilegal, brutalmente torturada, colocada em isolamento durante meses e agora condenada como uma terrorista.
Lina Alhatloul
Irmã da vencedora do Prémio Václav Havel 2020

Loujain Alhathloul fez parte de um painel de nomeadas totalmente feminino e completo com as irmãs budistas da ordem Drukpa e com a ativista Julienne Lusenge da República Democrática do Congo.

O prémio vale à saudita uma bolsa de 60 mil euros, um troféu e um diploma.