Deputados alemães adotam "travão de emergência" face à Covid

Deputados alemães adotam "travão de emergência" face à Covid
Direitos de autor Lionel Cironneau/AP2011
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Projeto de lei reforça poderes da chanceler Angela Merkel e permite uniformizar restrições nos Estados federais com maior número de contágios

PUBLICIDADE

O Parlamento alemão aprovou o "travão de emergência", um projeto de lei do governo de Angela Merkel que reforça os poderes da chanceler na luta contra a pandemia, permitindo a uniformização das restrições adotadas nos Estados federais com uma incidência elevada de contágios.

Para poder entrar em vigor, a partir do próximo sábado, o texto deverá passar esta quinta-feira no Bundesrat, a Câmara Alta do Parlamento.

Jens Spahn, Ministro da Saúde da Alemanha: "Vamos ultrapassar esta difícil e, esperamos, fase final da maratona pandémica se nos unirmos e tomarmos as medidas necessárias. Aberturas com base em testes e sobretudo vacinação, com a perspectiva necessária que é exigida por muitos. Mas primeiro precisamos de uma ponte para quebrar esta vaga e é esse o objetivo desta lei e é por isso que pedimos a sua aprovação."

Mas os opositores consideram tratar-se de um gesto para centralisar o poder em Berlim, com a extrema-direita a denunciar um ataque "à liberdade, ao federalismo e ao senso comum".

Alexander Gauland, líder do Alternativa para a Alemanha:"Resta-me alertar para a experiência que está aqui em curso, que alguns esperam poder ser repetida noutras ocasiões. Se a chanceler diz que o vírus não é negociável, em breve ouviremos que o clima não é negociável e que as restrições de hoje também servem para o bravo mundo novo de amanhã."

A adoção do texto na câmara baixa do Parlamento coincidiu com um protesto junto à emblemática Porta de Brandeburgo em Berlim contra as restrições, que reuniu cerca de oito mil pessoas, marcado por alguns incidentes entre manifestantes e forças da ordem.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Rishi Sunak pede desculpa aos familiares das vítimas da Covid-19

Rei da Suécia entrega os Prémios Nobel de 2023