Última hora
This content is not available in your region

Diversidade nos nomeados ao Óscar de melhor filme internacional

euronews_icons_loading
Diversidade nos nomeados ao Óscar de melhor filme internacional
Direitos de autor  Amy Sancetta/AP2010
Tamanho do texto Aa Aa

A diversidade domina as nomeações aos Óscares para melhor longa-metragem internacional.

Da Dinamarca está em competição "Another Round", de Thomas Vinterberg nomeado, também, na categoria de melhor realizador. O argumento gira em torno de um grupo de professores que decide testar a teoria de que serão mais felizes e bem-sucedidos se viverem sempre com um pouco de álcool no sangue.

"Better Days" representa Hong Kong. A película mostra a dura realidade do bullying em ambiente escolar. Na China o filme foi um sucesso de bilheteira e catapultou o realizador Derek Tsang para o estrelato a nível fama internacional.

Pela primeira vez um filme da Roménia está nomeado para os Óscares. O documentário "Collective" relembra o drama do clube noturno, com o mesmo nome, "Coletivo", em português, localizado em Bucareste e onde dezenas de pessoas morreram, devido a um incêndio e a lacunas nos cuidados hospitalares. O filme de Alexander Nanau está também nomeado para Melhor documentário.

Uma estreia também para a Tunísia com a nomeação de "The Man who sold his skin". Uma obra de ficção que conta a história de um refugiado sírio tatuado por um artista famoso e que descobre que vendeu mais do que a sua pele. A realizadora é Kaouther Ben Hania.

"Quo Vadis, Aida?" compete pela Bósnia e Herzegovina. O filme conta a história da tradutora da ONU e antiga professora, Aida, que tenta salvar a sua família depois do Exército da República Sérvia tomar conta da cidade de Srebrenica antes do massacre de julho de 1995.

A cerimónia de entrega dos Óscares 2021 está agendada para o próximo dia 25 de abril.