Mundo mobiliza-se para auxiliar Índia no combate à Covid

Familiares de uma vítima da Covid realizam rituais fúnebres antes da cremação
Familiares de uma vítima da Covid realizam rituais fúnebres antes da cremação Direitos de autor Channi Anand/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Falta de oxigénio, camas e equipamento nos hospitais indianos estão a causar uma tragédia no segundo país mais populoso do mundo. Há pessoas a morrer nas ruas. A comunidade internacional mobiliza-se para ajudar a Índia.

PUBLICIDADE

Os hospitais indianos não cessam de emitir pedidos de auxílio face a importantes ruturas no fornecimento de oxigénio a pacientes com covid-19. Pelo quinto dia consecutivo, o governo indiano anunciou ter registado um recorde de novos casos, mais de 350 mil por dia.

Muitos conseguem receber cuidados médicos na rua, por falta de leitos, mas outros sucumbem ao vírus.

"Eles não têm oxigénio, não têm médicos, as pessoas estão a morrer. Estivemos no parque de estacionamento durante uma hora, a minha irmã acabou de morrer há pouco", lamenta um homem em Nova Deli.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) é uma das entidades mundiais empenhadas em auxiliar o segundo país mais populoso do mundo.

"A OMS faz tudo o que pode, fornece equipamento médico essencial e mantimentos, incluindo oxigénio, hospitais de campanha pré-fabricados e mantimentos laboratoriais", declarou o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O governo indiano organizou o envio de autotanques de oxigénio para Nova Deli, por comboio, por ser mais rápido, e pediu às pessoas para não entrarem em pânico.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu assistência humanitária, bem recebida pelo primeiro-ministro, Narendra Modi, em especial na disponibilidade de produtos necessários para produzir vacinas.

A União Europeia, incluindo a Alemanha, igualmente, mobiliza-se para enviar auxílio. "Estamos agora a trabalhar a toda velocidade para ver como podemos colocar unidades de produção de oxigénio no terreno. Toda a Europa está a fazer isto. Também falei com o primeiro-ministro português, que detém a presidência da União Europeia. Nós queremos fazer tudo para ajudar a Índia", declarou.

Os indianos enfrentaram de forma razoável a primeira vaga de Covid-19, mas não se acautelaram de forma eficaz contra a segunda. Apenas o fornecimento rápido de oxigénio e vacinas pode ajudar a acabar com o pesadelo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autoridades indianas proíbem festival Hindu

Milhares de sapatos colocados numa praça em homenagem às crianças mortas em Gaza

Um morto e cinco feridos após ataques de urso na Eslováquia