Última hora
This content is not available in your region

Discriminação LGBT afeta crescimento económico no leste da Europa

euronews_icons_loading
Discriminação LGBT afeta crescimento económico no leste da Europa
Direitos de autor  Zoltan Balogh/MTVA - Media Service Support and Asset Management Fund
Tamanho do texto Aa Aa

A discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais e transexuais está a custar a alguns países da Europa de Leste até 2% de crescimento económico anual. É a conclusão do relatório do grupo de defesa dos direitos LGBT, "Open for Business".

George Perlov explica o objetivo do relatório: "Queremos realmente mudar a narrativa que tem vindo a decorrer há tanto tempo, que tem sido sobre guerras culturais. E queremos mostrar que estes países, que têm objetivos de crescimento muito ambiciosos, não serão capazes de o fazer a menos que se comprometam a ser mais abertos e diversificados e a apoiar os direitos LGBT e já vimos os dados que apoiam isso".

Segundo o Open for Business, países como a Hungria, Polónia, Roménia e Ucrânia estão a perder milhares de milhões de euros por ano devido à falta de direitos iguais no local de trabalho para as pessoas LGBT e a custos de saúde mais elevados relacionados com o VIH/SIDA e a depressão.

O relatório destina-se a líderes governamentais, políticos, empresariais e organizações de Direito Humanos. O documento faz a argumentação económica e empresarial de que, para que estes países atinjam os seus níveis pretendidos de crescimento económico, necessitam de se tornar mais inclusivos da comunidade LGBT e ao, mesmo tempo, acabar com as práticas discriminatórias nocivas, que se revelam ser uma má política económica.

O relatório utiliza uma variedade de pesquisas económicas, análises de dados, estudos de casos aspiracionais e um inquérito de propriedade de empresas como prova para o caso económico e comercial para uma maior inclusão LGBT na região. Inclui também resumos das principais questões enfrentadas pelas comunidades LGBT em cada um dos países em foco, bem como os objetivos económicos que os países se estão a esforçar por atingir, para além de uma análise financeira das desigualdades na saúde devido ao VIH e à depressão e da diferença salarial enfrentada pelas pessoas LGBT.