Última hora
This content is not available in your region

Uma casa "impressa" em 3D

euronews_icons_loading
Uma casa "impressa" em 3D
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Este campus de arquitetura experimental na Bélgica acolhe a primeira casa impressa em 3D no mundo. A maior impressora de betão 3D na Europa foi utilizada para construir uma casa de dois andares e 90 metros quadrados.

A mesma impressora é agora utilizada pelos estudantes para desenvolver novas soluções de construção sustentável. Charlotte Van Antenaeken é um desses estudantes: "Com esta tecnologia pudemos imprimir uma casa inteira. Agora queremos avançar e utilizar esta impressora 3D de forma eficiente para criar novas propostas. No nosso projeto, por exemplo, queremos compreender como podemos imprimir superfícies que permitam estruturas arquitectónicas mais fortes que possam suportar mais peso", conta.

Os promotores afirmam que a casa impressa requer 60% menos material do que um edifício comum semelhante. O orçamento do projeto foi de 1,6 milhões de euros; 40% financiado pela União Europeia. Após meses de preparativos, a casa foi construída em apenas três semanas.

Argila como elemento que faz poupar energia

A temperatura e a humidade no interior da habitação de baixo consumo energético são controladas graças a uma tecnologia inovadora baseada na argila instalada no teto.

"O barro é um produto circular. Podemos sempre reutilizá-lo. A argila é pré-prensada. É um sistema seco. Por isso, podemos colocar tubos dentro dele. E por esses tubos passam água quente e água fria", diz Marc Smets, da empresa Argillatherm, que concebeu o dispositivo.

As autoridades regionais dizem que a iniciativa de alta tecnologia poderia ajudar a modernizar a indústria de construção europeia e torná-la mais sustentável.

Kathleen Hilsen, deputada da Província de Antuérpia, explica: "Avaliámos que o sector da construção ainda funciona de uma forma muito tradicional, continua a utilizar muitos materiais, produzindo demasiados resíduos. Queremos mudar esta abordagem. Mas se quisermos ajudar a convencer o sector da construção a investir na automatização e no mundo digital, precisamos de lhes mostrar exemplos de boas práticas. Isso ajudou a que tenhamos construído esta casa".

Os promotores dizem que a casa pode desencadear outras iniciativas de economia circular no setor da construção da UE, que emprega cerca de 5 milhões de pessoas.