Última hora
This content is not available in your region

Elite do futebol europeu desvaloriza 6 mil milhões em 2020

euronews_icons_loading
Estádio Santiago Bernabéu
Estádio Santiago Bernabéu   -   Direitos de autor  STF/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Real Madrid, Barcelona e Manchester United são os três clubes mais valiosos do futebol europeu. A conclusão é do relatório anual da KPMG, no entanto engana-se quem pensar que a temporada para esquecer dos três gigantes a nível desportivo pode ser compensada pela vitória no campeonato da economia.

Afinal de contas, pela primeira vez desde que o relatório começou a ser publicado, os 32 principais clubes do velho continente perderam valor de mercado, registando uma desvalorização de 15%, que se traduziu numa perda superior a seis mil milhões de euros.

A quebra deve-se sobretudo à pandemia de covid-19, com o decréscimo das receitas operativas a deixar expostas as fragilidades económicas dos clubes. Ferenc Dénes é um especialista em economia desportiva, sublinha que "a quebra não representa uma inversão da tendência" e diz acreditar que na próxima avaliação, os clubes estejam "novamente no nível pré-pandemia" e com possibilidade de "crescer ainda mais".

Relativamente à lista do ano passado, o Real Madrid continua na liderança e o Barcelona subiu à segunda posição, por troca com o Manchester United. Benfica e Porto são os únicos clubes portugueses entre as 32 marcas mais valiosas para a consultora, na 25.ª e 29.ª posição, respetivamente.

Entre as soluções para aumentar a rentabilidade do futebol, o relatório sugere que os principais clubes portugueses possam jogar na Liga Espanhola.