EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

A bofetada a Emmanuel Macron

Macron foi esbofeteado depois de visitar um liceu de hotelaria
Macron foi esbofeteado depois de visitar um liceu de hotelaria Direitos de autor Philippe Desmazes/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Philippe Desmazes/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Presidente de França, Emmanuel Macron, foi esbofeteado por um homem durante a visita oficial ao departamento da Droma. Duas pessoas foram detidas.

PUBLICIDADE

Quando um Presidente da República é esbofeteado. Será um episódio inédito mas aconteceu ao presidente francês, Emmanuel Macron, durante uma visita a uma pequena vila do sudeste francês no departamento da Droma.

Depois de ser recebido num liceu de hotelaria, um grito de armas monárquico - "Montjoie ! Saint-Denis" - e depois a bofetada. A motivação do homem ainda é desconhecida, a imprensa francesa diz que as duas pessoas detidas têm ligações aos coletes amarelos.

E a solidariedade política foi grande. Desde da direita de Marine Le Pen ao líder do movimento de esquerda, França Insubmissa, Jean Marie Melenchon. A agressão foi condenada. O primeiro-ministro, Jean Castex, reagiu. "A democracia, vós sois a ilustraçao dela. É debate, diálogo, confronto de ideias, é a expressão de desentendimentos legítimos, claro, mas nunca pode ser violência, agressão verbal e muito menos agressão física", declarou na Assembleia Nacional.

Macron encontra-se numa digressão pelo país para sentir o pulso dos franceses. E será um pulso agitado o que notou depois da visita ao liceu de hotelaria de Tain l'Hermitage. Sinal de que presidenciais do próximo ano não estão garantidas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Partido de Macron cilindrado nas eleições regionais

Eleições regionais de domingo servem de barómetro às presidenciais

Protestos em Paris contra a extrema-direita