Última hora
This content is not available in your region

A bofetada a Emmanuel Macron

euronews_icons_loading
Macron foi esbofeteado depois de visitar um liceu de hotelaria
Macron foi esbofeteado depois de visitar um liceu de hotelaria   -   Direitos de autor  Philippe Desmazes/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Quando um Presidente da República é esbofeteado. Será um episódio inédito mas aconteceu ao presidente francês, Emmanuel Macron, durante uma visita a uma pequena vila do sudeste francês no departamento da Droma.

Depois de ser recebido num liceu de hotelaria, um grito de armas monárquico - "Montjoie ! Saint-Denis" - e depois a bofetada. A motivação do homem ainda é desconhecida, a imprensa francesa diz que as duas pessoas detidas têm ligações aos coletes amarelos.

E a solidariedade política foi grande. Desde da direita de Marine Le Pen ao líder do movimento de esquerda, França Insubmissa, Jean Marie Melenchon. A agressão foi condenada. O primeiro-ministro, Jean Castex, reagiu. "A democracia, vós sois a ilustraçao dela. É debate, diálogo, confronto de ideias, é a expressão de desentendimentos legítimos, claro, mas nunca pode ser violência, agressão verbal e muito menos agressão física", declarou na Assembleia Nacional.

Macron encontra-se numa digressão pelo país para sentir o pulso dos franceses. E será um pulso agitado o que notou depois da visita ao liceu de hotelaria de Tain l'Hermitage. Sinal de que presidenciais do próximo ano não estão garantidas.