EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Partido de Macron cilindrado nas eleições regionais

Partido de Macron cilindrado nas eleições regionais
Direitos de autor Daniel Cole/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Daniel Cole/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Com uma abstenção histórica, o centro-direita foi o grande vencedor. O partido de Marine Le Pen pode conseguir uma região.

PUBLICIDADE

A abstenção foi a grande vencedora da primeira volta das eleições regionais em França, este domingo, com 68% dos eleitores a não votar. O centro-direita foi o outro vencedor, com os candidatos das alianças desta área à frente em seis regiões. As listas de esquerda e centro-esquerda ficam à frente em cinco.

O presidente Emmanuel Macron sofreu um grande revés, com as listas encabeçadas pelo partido "A República em Marcha"fora do pódio em quase todas as regiões. Em duas delas não chega sequer aos 10% que permitem a passagem à segunda volta.

Apesar de ter ficado em segundo lugar a nível nacional e numa boa parte das regiões, o partido Reunião Nacional, de Marine Le Pen, de extrema-direita, teve uma quebra nos resultados face às regionais de há cinco anos e ficou bastante abaixo das aspirações.

Nenhum partido conseguiu ser eleito à primeira volta, em nenhuma região. Para a segunda volta, marcada para o próximo fim de semana, prevê-se que a fusão e desistência de várias listas para fazer barragem à Reunião Nacional de Le Pen, que só tem algumas hipóteses na região Provença-Alpes-Côte d'Azur, onde ficou em primeiro e onde a lista do centro-esquerda, que ficou em terceiro, deve manter a candidatura, apesar do apelo em contrário feito pela direção do Partido Socialista.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Abstenção histórica em França nas eleições regionais

Os sorrisos voltam às ruas de França

A bofetada a Emmanuel Macron