Última hora
This content is not available in your region

Quarto candidato da oposição detido na Nicarágua

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
(screenshot)
(screenshot)   -   Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, aperta o cerco aos rivais a cinco meses das eleições em que pretende conquistar um quarto mandato.

A polícia deteve esta terça-feira Juan Sebastián Chamorro García, quarto candidato opositor interpelado em menos de uma semana pelas autoridades, acusado de "incitar a ingerência externa nos assuntos internos" no país.

Poucas horas antes, era detido outro candidato da oposição, Félix Maradiaga, alvo de uma investigação por alegados atos contra a soberania da Nicarágua, terrorismo e apoio às sanções internacionais contra o governo do país.

Félix Maradiaga, candidato da oposição:"Apesar do que nos pode cair em cima, o regime é a verdadeira minoria, face a uma nação que quer trabalho, liberdade, paz e justiça, e é isso que estamos a fazer."

Depois da detenção de Maradiaga, os Estados Unidos já tinham reagido através da porta-voz do Departamento de Estado, Julie Chung, que dizia no Twitter que "a comunidade internacional não tem outra opção" para além de tratar Ortega como um "ditador".

No espaço de menos de uma semana, foram também detidos o ex-diplomata Arturo Cruz e a jornalista Cristina Chamorro, prima de Juan Sebastián Chamorro García.

Cristina Chamorro, candidata da oposição:"Daniel Ortega tem medo do povo da Nicarágua. É um homem que está morto de medo, porque unidos vamos derrotá-lo nas próximas eleições."

Atualmente em prisão domiciliária, Cristina Chamorro é vista como a principal opositora a Ortega. Vários países já exigiram a sua libertação imediata.