Última hora
This content is not available in your region

Trabalho infantil está a aumentar

De  euronews
euronews_icons_loading
Trabalho infantil está a aumentar
Direitos de autor  OIT
Tamanho do texto Aa Aa

O trabalho infantil aumentou, pela primeira vez, em 20 anos e atinge 160 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo.

Um aumento de 8,4 milhões crianças entre 2016 e 2020, segundo o relatório "Trabalho Infantil: Estimativas globais de 2020, tendências e o caminho a seguir", da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), divulgado nas vésperas do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, que se assinala este sábado.

Estima-se "que a pandemia tenha colocado 108 milhões de pessoas, e as suas famílias, na pobreza laboral", diz o diretor-geral da OIT. Guy Ryder alerta que existe o perigo de estas pessoas recorrerem "ao trabalho infantil quase como estratégia de sobrevivência. A menos que se atue no sentido de travar isso, poderemos assistir a um novo aumento de cerca de 9 milhões de crianças vítimas de trabalho infantil, até ao final de 2022 ".

Segundo o relatório:

  • O setor agrícola é responsável por 70% das crianças e dos adolescentes em situação de trabalho infantil (112 milhões), seguido por 20% no setor de serviços (31,4 milhões) e 10% na indústria (16,5 milhões).
  • Quase 28% das crianças de 5 a 11 anos e 35% dos meninos e meninas de 12 a 14 anos em situação de trabalho infantil estão fora da escola.
  • O trabalho infantil é mais prevalente entre meninos do que meninas em todas as idades. Quando as tarefas domésticas realizadas por pelo menos 21 horas por semana são levadas em consideração, a diferença de género no trabalho infantil diminui.
  • A prevalência de trabalho infantil nas áreas rurais (14%) é quase três vezes maior do que nas áreas urbanas (5%).
  • Crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil correm risco de danos físicos, mentais e sociais. O trabalho infantil compromete a educação, restringindo seus direitos e limitando suas oportunidades futuras, e leva a círculos viciosos intergeracionais de pobreza e trabalho infantil.

Em janeiro, a FAO, a agência das Nações Unidas para a área da alimentação e agricultura, prometeu intensificar as ações para erradicar o trabalho infantil no setor.

Na Ásia, o Camboja é um dos países onde o trabalho infantil está a crescer, em especial na indústria pesqueira.