Última hora
This content is not available in your region

A nova vida do rio Pó

De  Giorgia Orlandi
euronews_icons_loading
A nova vida do rio Pó
Direitos de autor  WWF
Tamanho do texto Aa Aa

Com a aprovação formal pela Comissão Executiva da União Europeia de 191,5 mil milhões de euros em fundos de recuperação pandémica para a Itália, o país tornou-se oficialmente o maior beneficiário do financiamento.

Parte do fundo de recuperação pandémica nos objetivos climáticos do país. Mais de 350 milhões de euros vão ajudar o projeto de recuperação ecológica do rio Pó. São 1500 hectares de zonas húmidas e centenas de hectares de floresta. Garantir a saúde a longo prazo deste local distinguido pela Unesco é crucial tanto para a economia como para o ambiente.

Andrea Agapito, do Fundo Mundial para a Natureza, conta que a crise climática aumentou as mudanças dramáticas entre períodos de chuva, tanto no verão como no inverno. Com a recuperação do fluxo do rio, “vai ser criada uma enorme esponja que pode reter água durante os períodos de chuva e depois libertá-la progressivamente durante o resto do ano”. E assim, explica Agapito, vai ser possível fixar o ciclo hidrogeológico e diminuir os riscos relacionados com as alterações climáticas.

O principal objetivo desta intervenção é melhorar o fluxo do rio através da ligação de leitos abandonados. As comunidades locais que vivem e trabalham em regiões atravessadas pelo rio também serão beneficiadas. Jennifer Bacchi tem um negócio relacionado com barcos e turismo na região do rio Pó. Com este plano de recuperação espera duplicar o número de clientes e de receitas comerciais.

O projeto de recuperação ecológica não estará terminado antes de 2016. O ano marca o fim do período de atribuição de fundos de recuperação da União Europeia.