Gibraltar altera lei sobre o aborto

Gibraltar altera lei sobre o aborto
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O "Sim" venceu o referendo desta quinta-feira

PUBLICIDADE

Os habitantes de Gibraltar acabaram com uma das leis do aborto mais rígidas do mundo. No referendo desta quinta-feira, 62% dos eleitores votaram a favor da alteração da lei que permite o aborto até às 12 semanas quando a saúde mental ou física da mulher está em risco - como em casos de violação ou incesto - ou quando os fetos têm defeitos físicos fatais. A afluência às urnas ultrapassou os 52%.

Isobel Ellul, a líder da campanha pelo “Sim”, disse que venceram os direitos humanos, as mulheres e raparigas, e os médicos e os profissionais de saúde de confiança.

Até aqui, e apesar de não existirem condenações por este motivo, o aborto em Gibraltar implicava uma pena de prisão perpétua para a mãe e qualquer pessoa que a ajudasse a interromper a gravidez.

O referendo dividiu a sociedade deste pequeno enclave britânico. Grupos a favor da alteração da lei e grupos pró-vida organizaram vários eventos desde o início da campanha com argumentos “irreconciliáveis”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Consequências do aborto são subestimadas

Aborto na Polónia. A lei que proíbe e divide

Aprovada legalização do aborto na Argentina