Última hora
This content is not available in your region

Contagem decrescente para o Metro de Superfície Luanda

De  Neusa Silva  & Euronews
euronews_icons_loading
Projeto de metro de superfície em Luanda
Projeto de metro de superfície em Luanda   -   Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O desenvolvimento de megacidades é um desafio global. As Nações Unidas recomendam que até 2030 os países implementem soluções para um crescimento urbano sustentável, cuja mobilidade seja mais amiga do ambiente.

Para atingir este objetivo, Angola pretende lançar um Metro de Superfície em Luanda. O projeto começou a avançar nos últimos anos.

O ministro dos transportes, Ricardo de Abreu, acredita que as obras vão finalmente arrancar no primeiro semestre de 2022.

“Nós estamos convictos de que este projeto pode ser um projeto de grande contribuição, para assegurarmos, exatamente, quer as comunidades e cidades mais saudáveis, quer, também, do ponto de vista das infraestruturas, trazermos Inovação para nossa cidade resolvendo uma grande dificuldade que é a mobilidade urbana. O parceiro tecnológico do executivo é, preferencialmente, a Siemens, isso está assumido no memorando de entendimento que já foi assinado entre as duas partes, mas teremos que identificar outros parceiros que queiram participar nesse consórcio ou nessa entidade de propósito específico, que será então a entidade que depois irá gerir e explorar o metro de superfície de Luanda”, declarou o governante.

O concurso público para esta fase está a ser finalizado, explicou Ricardo de Abreu. Este projeto tem programada a construção de 149 quilómetros de via e visa igualmente a requalificação urbana, a melhoria das condições de vida e de macrodrenagem da cidade de Luanda. O custo estimado é de 3,5 mil milhões de dólares.

A Alemanha surge, também no capítulo financeiro, como um parceiro fundamental, explica o embaixador da Alemanha em Angola, Dirk Lölke: “Luanda precisa de um sistema de carris ligeiro e moderno, é uma cidade enorme. Ouvimos hoje que tem atualmente oito milhões de habitantes e que terá 12 milhões no final desta década. Estou certo de que o governo alemão irá ajudar com garantias para assegurar um financiamento viável para este sistema.”

De acordo com o site Statista, o volume de investimentos neste tipo de mobilidade ronda os 40 mil milhões de dólares, em África, até 2025.