Última hora
This content is not available in your region

Orgulho LGBTQ em Budapeste

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Orgulho LGBTQ em Budapeste
Direitos de autor  Diritti d'autore Laszlo Balogh/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O 26º desfile do Orgulho LGBTQ em Budapeste começa às 14 horas de sábado. Os organizadores esperam dezenas de milhares de pessoas. Deputados estarão no meio da multidão, mas, provavelmente, nenhum representante do Fidesz - o partido do governo na Hungria.

A comunidade LGBTQ não está apenas no centro das atenções na Hungria devido ao mês do Orgulho. Há cinco semanas, o Parlamento húngaro aprovou a legislação, que o governo apelidou de lei de protecção da criança e que os críticos dizem ser uma lei que exclui a comunidade LGBT.

Em Bruxelas, o primeiro-ministro húngaro foi atacado: há duas semanas, o Parlamento Europeu condenou "fortemente" a polémica lei húngara. Desde essa altura, o primeiro-ministro Viktor Orbán anunciou que o governo vai lançar um referendo sobre proteção infantil, cuja primeira pergunta será "Apoia a realização de uma sessão de orientação sexual, numa instituição de ensino pública, sem o consentimento dos pais?" E, segundo relatos de uma das maiores ONGs da Hungria de defesa dos direitos LGBTQ, a Háttér Society, os incidentes homofóbicos aumentaram nas últimas semanas.

A marcha vai da Praça Madách, passando pela Ponte da Liberdade até Tabán. O trânsito será cortado durante o desfile e os horários dos transportes públicos alterados.

Ao mesmo tempo, a poucas centenas de metros do ponto de encontro do Orgulho, a Associação Europeia de Patriotas Unidos vai organizar uma contra-manifestação no cruzamento das ruas Bajcsy Zsilinszky e Andrássy, com o título "Em defesa da normalidade e dos nossos filhos".
Olivia Harangozó
Euronews