Última hora
This content is not available in your region

Fim de semana sob fogo. Grécia, Turquia e Rússia combatem incêndios devastadores

Access to the comments Comentários
De  Euronews com AP
euronews_icons_loading
Fim de semana sob fogo. Grécia, Turquia e Rússia combatem incêndios devastadores
Direitos de autor  Lefteris Pitarakis/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Três grandes incêndios florestais deflagraram, este sábado, na Grécia, colocando várias cidades em risco.

Em Eubeia, uma linha de fogo isolou o norte do restante território. Vários barcos permanecem no local para a evacuação desta que é a segunda maior ilha do país

Na região central, a cidade antiga de Olímpia foi cercada.

Já a norte de Atenas, montanhas do Parque Nacional Parnitha foram consumidas por chamas descritas como "uma catástrofe bíblica",

Na capital grega, a propagação de fumo sufocante levou as autoridades a criar uma linha direta para quem tiver problemas respiratórios.

A Grécia pediu ajuda internacional para fazer face às chamas. Onze países - França, Espanha, Ucrânia, Chipre, Croácia, Suécia, Israel, Polónia, Roménia, Suíça e Estados Unidos - responderam ao apelo com o envio de meios.

Temperaturas a subir aos 45°C estão a dificultar as operações. A vaga de calor que assola o país é já considerada a pior das últimas três décadas na Grécia,

Turquia

A bater máximos históricos estão também os incêndios que há 10 dias varrem o sul da Turquia e são já responsáveis pela morte de pelo menos oito pessoas.

De acordo com as autoridades florestais, desde 28 de julho, foram controlados 217 fogos em mais de metade das províncias do país.

Na província turca de Mugla, uma região popular para turistas, alguns incêndios pareciam estar sob controlo este sábado, mas o ministro com a pasta das florestas afirmou que área de Milas ainda ardia. Grupos ambientalistas instaram as autoridades a proteger as florestas da montanha de Sandras dos incêndios nas proximidades.

Rússia

Um combate difícil também para os bombeiros na Rússia, a braços com incêndios florestais na Sibéria, onde as autoridades evacuaram várias aldeias, este sábado.

Em Sakha-Yakutia, no nordeste, mais de um milhão de hectares arderam em 93 fogos ativos propagados a grande velocidade por ventos fortes. A região é já a mais afetada pelos fogos no país.

Para muitos cientistas, as elevadas temperaturas registadas na Rússia, ao longo dos últimos anos, são resultado das alterações climáticas.