EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Famílias obrigadas a viver na rua em São Paulo

Sem-abrigo em São Paulo
Sem-abrigo em São Paulo Direitos de autor Screenshot from AFP video
Direitos de autor Screenshot from AFP video
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Auxílio estatal para fazer face à pandemia caiu para cerca de 25 euros por mês e várias famílias ficaram sem possibilidade de pagar a renda

PUBLICIDADE

São Paulo é a cidade mais rica do Brasil mas a riqueza não chega a todos e entre os mais de 12 milhões de habitantes, há muitos que não têm um tecto para dormir. A pandemia de covid-19 agravou a situação e mudou o perfil dos sem-abrigo. Se antes a vida na rua era um mundo maioritariamente solitário e masculino, agora encontram-se famílias inteiras.

Para Mônica Silva França, quando o senhorio duplicou a renda teve de tomar uma decisão e preferiu que as filhas não fossem obrigadas a ir para a cama com fome.

As filhas dão uma ajuda a recolher material reciclável que garante um rendimento diário entre os 3 e os 5 euros. O apoio concedido pelo governo de Jair Bolsonaro durante a pandemia caiu de 600 para 150 reais e é agora cerca de 25 euros por mês.

O Padre Lancelotti tem sido uma das principais ajudas à comunidade de sem-abrigo e estima que existam atualmente 35 mil pessoas nessa condição na cidade, mais dez mil que na última contagem, em 2019.

A sua igreja faz o que pode, mas toda a ajuda é pouca.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hajj: peregrinação à cidade santa de Meca pelos muçulmanos

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas

Cheias no Brasil deixam mais de 100 mortos e milhares de desalojados