Última hora
This content is not available in your region

Eleições legislativas na Rússia

Access to the comments Comentários
De  Galina Polonskaya
euronews_icons_loading
Eleições legislativas na Rússia
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

“Escolham juntos” é o principal slogan da campanha para as legislativas na Rússia, que começam nesta sexta-feira. Na corrida para o voto estão 14 partidos e, neste momento, a grande dúvida é saber quantos russos vão participar nas eleições.

Daria, uma professora de inglês de Moscovo, ainda não decidiu em quem vai votar mas diz que o mais importante é participar no escrutínio. “Penso que qualquer eleição muda alguma coisa e o melhor que todos podem fazer é votar como quiserem”, defende.

Dmitry, um residente da capital, não concorda e fala em uma “democracia muito falsa”. “Fingimos que vamos às urnas para que alguém se sinta confortável”, lamenta.

Pela primeira vez, as eleições legislativas russas acontecem durante três dias. Alguns candidatos e observadores afirmam que esta novidade poderá permitir fraudes. A campanha tem sido criticada por analistas independentes.

Andrey Kolesnikov, especialista em Política Interna Russa no Carnegie Moscow Center, considera que a campanha aconteceu “em condições sem precedentes de repressão e de limpeza do campo político por parte do regime”.

As autoridades russas dizem que estas acusações são infundadas. A chefe da Comissão Eleitoral Central explica que foram introduzidos três dias de votação por causa da pandemia e sublinha que tudo foi feito para garantir uma votação honesta e democrática. “Os boletins de voto estarão sob vigilância vídeo, 24 horas por dia, durante três dias, em locais particularmente vigiados”, revela Ella Pamfilova.

De acordo com a lei russa, para que um partido político garanta o direito oficial de se sentar na Duma tem de obter pelo menos 5% do total de votos. E não há um limite mínimo de participação nas eleições da Rússia.