EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Maioria dos italianos favoráveis ao Passe Verde

Maioria dos italianos favoráveis ao Passe Verde
Direitos de autor Andrew Medichini/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Andrew Medichini/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Governo avança com obrigatoriedade do passaporte Covid para trabalhadores do setor público e privado a partir de 15 de outubro

PUBLICIDADE

A Itália é o primeiro país da Europa a avançar com a obrigatoriedade do passaporte Covid, denominado Passe Verde no país, para todos os trabalhadores, tanto do setor público como privado.

Uma sondagem recente indica que 75 por cento dos italianos são favoráveis à medida.

Andrea Baglione, guia turístico:"Não sei, não tenho a certeza. Por um lado pode ser útil, mas por outro força algumas pessoas a fazerem algo que não querem fazer. Agora é o Passe Verde e o que virá a seguir?"

Massimiliano Seminara, sindicalista:"Com o Passe Verde sinto-me mais seguro, mesmo mentalmente. Se a medida for adotada de forma massiva, vamos sentir-nos seguros no trabalho, do ponto de vista psicológico."

Federica D'Amata, empresária:"Não é uma questão de controlo. Os nossos telemóveis controlam-nos mais do que qualquer outra coisa. Mostro o certificado sem problema nos restaurantes, no escritório ou no ginásio."

No entanto há quem saia à rua para contestar a generalização do Passe Verde. E também persistem dúvidas sobre como o governo pretende aplicar a medida já a partir de 15 de outubro, quando milhões de italianos com mais de 30 anos ainda não foram vacinados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protestos contra Passe Verde obrigatório perdem intensidade em Itália

Manifestação contra o "Passe Verde" acaba com cartão vermelho

Secas, desertificação, ondas de calor: a crise climática atinge duramente a Sicília