Última hora
This content is not available in your region

Políticos apelam ao voto em dia de eleições locais

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Secção de voto em Lisboa
Secção de voto em Lisboa   -   Direitos de autor  ANTÓNIO COTRIM/ 2021 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Tamanho do texto Aa Aa

Portugal está a escolher os autarcas para 308 municípios e 3091 freguesias.

O primeiro-ministro, António Costa que votou em Lisboa, chamou a esta eleição a "Festa da Democracia", disse que esta não foi a sua última campanha eleitoral e apelou ao voto dos portugueses.

Um apelo que nunca é demais. Ao meio dia, a afluência às urnas era inferior à registada em 2017 à mesma hora.

Também Rui Rio, confrontado pelos jornalistas, com a possibilidade de a abstenção ser elevada, afirmou: "Uma pessoa abster-se é dizer 'sou contra a democracia, sou contra as eleições'", sublinhando o caráter popular destas eleições, em que os candidatos são "milhares de portugueses normais", tal como quem os elege.

O líder comunista, Jerónimo de Sousa, manifestou a vontade de que estas eleições sejam "a garantia de que o poder local democrático possa responder, em cada terra e concelho, às aspirações das populações".

Também a líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, apelou ao voto e deixou uma mensagem de agradecimento aos que trabalham nas mesas de voto.

Francisco Rodrigues dos Santos, o líder do CDS, votou em Lisboa e pediu: "Combatam o medo", afirmando: "Há muita gente que tem medo de exercer livremente o seu sentido de voto e não podemos aceitar isso em pleno século XXI, em que a democracia já tem mais do que tempo suficiente para estar amadurecida e consolidada no nosso país".

A abstenção é uma das maiores preocupações em cada ato eleitoral. Em eleições autárquicas, as piores taxas de participação registaram-se em 2013, com 47,4% de abstenção e em 2017, com 45%.