França acusa britânicos de tomarem pescadores como reféns

França acusa britânicos de tomarem pescadores como reféns
Direitos de autor AFP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Reino Unido rejeitou licenças de pesca a mais de uma centena de barcos franceses, incluindo 75 pela ilha de Jersey, justificadas com os critérios do acordo de transição pós #Brexit

PUBLICIDADE

França e Reino Unido agravam o braço de ferro devido aos direitos de pesca pós-Brexit nas águas territoriais britânicas .

A ilha de Jersey, território britânico, rejeitou licenças de pesca para as suas águas a 75 barcos franceses por alegadamente não respeitarem o acordo de transição estabelecido após a concretização do Brexit a 1 de janeiro deste ano.

O governo da ilha britânica apenas aprovou 64 licenças definitivas e 31 provisórias, dos 170 requerimentos recebidos por parte de barcos franceses.

"A esses 75 barcos [ao quais foram rejeitadas as licenças] foi dado um aviso de 30 dias sobre o fim do acordo de transição, findo os quais eles não poderão aceder às águas de Jersey", lê-se num comunicado do governo local da ilha.

Isto acontece depois do Reino Unido ter anunciado na terça-feira o aval a apenas 12 novas licenças das 47 solicitadas por barcos franceses para pescar numa zona delimitada ao largo da costa britânica entre as seis e as 12 milhas.

França acusa o governo de Boris Johnson de estar a tomar como reféns políticos os pescadores franceses.

"Esta é uma nova recusa dos britânicos em cumprir as condições do acordo do Brexit apesar de todo o trabalho realizado em conjunto. Tenho apenas uma palavra de ordem: para obter licenças definitivas para os nossos pescadores, como prevê o acordo, a pesca francesa não pode ser tomada como refém dos britânicos para fins políticos", afirmou Annick Girardin, a ministra francesa do Mar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Batalha naval entre França e Reino Unido

Milhares protestam em França pelo aumento do salário mínimo

Rishi Sunak: "Mantenham-me no cargo e eu ofereço-vos mudanças"