This content is not available in your region

2021: O pior ano da apicultura francesa

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
2021: O pior ano da apicultura francesa
Direitos de autor  Elise Amendola/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved

2021 é um ano desastroso para a apicultura francesa. Entre 7.000 e 9.000 toneladas de mel, é tudo o que será produzido este ano. Uma produção historicamente baixa; metade do que foi produzido em 2020.

Em causa estão vários fatores, mas particularmente as condições climáticas na primavera e no verão.

Segundo a União Nacional de Apicultores Franceses (UNAF), em muitas regiões, a geada, o frio e chuva por longos períodos impediram as abelhas de usufruir das florações.

Com condições mais ou menos adversas, a queda da produção de mel é uma tendência das últimas décadas, em França, à exceção dos anos de 2014 e 2020.

De cerca de 35.000 toneladas por ano, nos anos 90, a produção caiu para menos de 15.000 toneladas em 2013, depois para 9.000 em 2016, até ao nível historicamente baixo de 2021.

As colónias de abelhas são fortemente afetadas pelas alterações climáticas, pela chegada de espécies predadoras como os vespões asiáticos, e também pelo uso maciço de pesticidas neonicotinóides.

A queda no número de colónias de abelhas não afecta apenas a França. Muitos países europeus registaram reduções significativas da produção nos últimos anos, assim como a Turquia ou os Estados Unidos, líderes neste setor.

Este contexto favorece a importação de vários tipos de mel da China, que inundam os mercados europeus e são frequentemente apontados pelos apicultores como produtos contrafeitos, devido à adição de açúcar.

A UNAF já pediu às autoridades francesas para que seja decretada a "calamidade agrícola" no setor, para que os apicultores possam ususfruir de ajudas.