This content is not available in your region

Pandemia galopa em países com menor taxa de vacinação

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Pandemia galopa em países com menor taxa de vacinação
Direitos de autor  Patrick Semansky/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.

À chegada a Roma para a cimeira do G20, que decorre este fim de semana, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) lembra que a principal prioridade para a recuperação económica é acelerar a vacinação da população mundial.

As maiores economias apoiaram a partilha de vacinas através do programa COVAX, apoiado pela ONU, mas o mundo está longe de estar vacinado.

Kristalina Georgieva falou das necessidades financeiras e dos objetivos e prazos a atingir: "Acreditamos que ainda nos faltam 20 biliões de dólares para acelerar a vacinação e atingir o objetivo de 40 por cento de pessoas, pelo menos, em todos os países até ao final deste ano; 70 por cento até meados do próximo ano".

Nos países menos vacinados da Europa, a pandemia não dá tréguas.

A Ucrânia atingiu um novo recorde de infeções em 24 horas e com apenas 16,78% da população completamente vacinada, o governo tornou a vacina obrigatória para os professores e funcionários públicos. Quem não estiver vacinado até 8 de novembro, incorre em perda de salário. Também para as viagens de longo curso em aviões, autocarros e comboios vai passar a ser obrigatório estar vacinado.

Com os hospitais cheios e mais de 600 mortes por dia, o presidente, Volodymyr Zelenskyy, diz aos ucranianos: "Peço-vos vivamente que desliguem as redes sociais e liguem os vossos cérebros".

A partir de sábado, 15 das 24 regiões do país serão listadas como parte da zona vermelha de contágio, com a maioria das lojas, restaurantes e cafés fechados e serviços médicos não relacionados com a COVID-19 suspensos.

Na capital, Kiev, os restaurantes, centros comerciais e ginásios estarão fechados a partir de segunda-feira e os transportes públicos estarão limitados àqueles que possam apresentar provas de vacinação ou um teste PCR negativo.

As restrições ajudaram a aumentar o ritmo da vacinação, mas também deram origem a um mercado negro em expansão de documentos falsificados.

Todo o território da Croácia é uma mancha vermelha escura no mapa atualizado da COVID , do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças. Nas últimas 24 horas, o país registou 4.392 novos casos de coronavírus e 26 pacientes morreram. Só 47,5% da população adulta croata está completamente vacinada.

Na Dinamarca, o problema são testes a mais. As pessoas estão a recorrer aos testes por precaução, mesmo sem sintomas, o que está a criar constrangimentos nos centros de teste e a dificultar o acesso a testes de pessoas possivelmente contagiadas. Os médicos pedem ao governo que imponha regras.

Na Polónia, a quarta vaga está em crescendo. Esta sexta-feira, o país registou mais 9.387 novas infeções e 102 mortes e ultrapassou os três milhões de infetados desde o início da pandemia.