França desaconselha SpikeVax para menores de 30 anos

Vacina da Moderna terá revelado maior risco cardíaco que a rival Pfizer/BioNTech
Vacina da Moderna terá revelado maior risco cardíaco que a rival Pfizer/BioNTech Direitos de autor Sholten Singer/The Herald-Dispatch via AP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Estudo francês citado como justificação para desaconselhar a proposta de proteção anticovid da farmacêutica Moderna

PUBLICIDADE

A Alta Autoridades de Saúde (HAS) francesa desaconselha o uso em pessoas menores de 30 anos da vacina anticovid SpikeVax, desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Moderna.

A decisão é justificada com um estudo realizado pela Segurança Social (Cnam) e pela Agência do Medicamento (ANSM) de França, que se focou em pessoas com idades entre os 12 e os 50 anos e concluiu haver entre jovens adultos e os mais novos um ligeiro aumento do risco de miocardites e pericardites, que são pequenas inflamações do coração.

Os problemas identificados surgiram sobretudo nos primeiros sete dias após a vacinação e nos homens menores de 30 anos.

O estudo também concluiu haver risco no uso da vacina Cominarty, da Pfizer/BioNTech, mas com menor probabilidade, sugerindo por isso a preferência pela proposta do consórcio da farmacêutica americana com o laboratório alemão.

Por outro lado, a HAS recomenda o uso da SpikeVax na vacinação primária e para uma meia dose de reforço em indivíduos com mais de 30 anos de idade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agricultores franceses mantêm protestos apesar de novas medidas do governo

Praias de desembarque do Dia D podem ser consideradas Património Mundial da UNESCO

Macron anuncia apoio de três mil milhões de euros à Ucrânia durante visita de Zelenskyy a Paris