This content is not available in your region

A corrida aos bancos alimentares nos Estados Unidos

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
A corrida aos bancos alimentares nos Estados Unidos
Direitos de autor  AP (Videostandbild)

São cada vez mais as famílias que procuram os Bancos Alimentares nos Estados Unidos. As organizações de solidariedade dizem que vai ser difícil satisfazer a procura nas últimas semanas do ano. Para além da crise que veio com a pandemia e da escassez da cadeia de abastecimento, os consumidores têm agora de de lidar com o aumento dos preços.

Katie Fitzgerald presidente da organização “Feeding America”, diz que os bancos alimentares do país “são duas a três vezes superiores ao que eram há apenas nove meses".

Desde o início da pandemia, cerca de 60 milhões de pessoas tiveram acesso à ajuda de bancos alimentares norte-americanos. Ita Espinoza foi uma delas. Conta que recorre a esta ajuda porque precisa de comida para a família, "as lojas são muito caras e o dinheiro não é suficiente".

O aumento dos preços condiciona o cabaz de compras das comunidades desfavorecidas. Com feriados como o Dia de Ação de Graças e o Natal a aproximarem-se, têm de ser feitos alguns sacrifícios Os preços mais caros e a disponibilidade limitada significam que algumas famílias podem receber porções mais pequenas e substitutos de bens essenciais.