This content is not available in your region

Solskjaer despedido no "Man United" e lista de sucessores cresce

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Norueguês despedido após goleada e sem qualquer título
Norueguês despedido após goleada e sem qualquer título   -   Direitos de autor  AP Photo/Rui Vieira, Arquivo

A notícia surgiu logo sábado à noite e, este domingo, o Manchester United confirmou-a: Ole Gunnar Solskjaer foi despedido.

O antigo avançado do clube sucedeu a José Mourinho no cargo de treinador, de forma interina, em dezembro de 2018. Foi oficializado no cargo e até renovou este ano, mas quase três anos ap1os ter assumido o lugar está de saída, sem ter ganho qualquer título, fazendo por isso pior que o português, campeão na Liga Europa em 2017 e vencedor da Taça da Liga e da Supertaça inglesas em 2016.

"O Manchester United pode confirmar que Ole Gunnar Solskjaer deixou a função de 'manager'. Obrigado por tudo, Ole."

O norueguês, de 48 anos, deixa Old Trafford desta vez sem glória eapós uma pesada goleada (4-1) sofrida sábado em Watford, em jogo da Liga inglesa.

Foi a sétima derrota dos "red devils" esta temporada, a quinta no campeonato, depois de em maio se terem sagrado vicecampeões ingleses.

Solskjaer deixa a equipa de Cristiano Ronaldo, Bruno Fernandes e Diogo Dalot no oitavo lugar, a 12 pontos do líder, o Chelsea, e com a passagem aos "oitavos" da Liga dos Campeões ainda em risco, apesar de liderar o grupo F.

O "Man United" visita esta terça-feira o Villarreal. Os espanhóis são segundos no grupo, em igualdade pontual com os ingleses. Será o primeiro jogo dos "red devils" sem Solskjaer.

Em comunicado, o Manchester United garante que Solskjaer "continuará a ser uma lenda do clube" e, para já, coloca a equipa, de forma interina, nas mãos de outro ex-jogador, Michael Carrick, até aqui adjunto, e que manterá na equipa técnica o também ex-colega de Ronaldo na equipa, Darren Fletcher.

Sucessores alinham-se

Zinedine Zidane, sem clube desde que deixou o Real Madrid em maio, lidera para já as bolsas de apostas para suceder a Solskjaer em Old Trafford.

O francês, que venceu três Ligas dos Campeões pelos "merengues", parece contudo pouco disponível para assumir um projeto a meio e sem bases sólidas para atingir o sucesso apesar de contar no plantel com dois ex-jogadores com quem trabalhou em Madrid: Ronaldo e o compatriota Raphael Varane.

Apesar de ter revelado há algumas semanas abertura para liderar o United, a prioridade do antigo número "10" da Juventus e do Real Madrid será a seleção de França, asseguram alguns meios de comunicação gauleses.

O jornal "Times" acrescenta ainda que a Véronique Fernandez, a mulher de Zidane, não agrada mudar-se para Manchester.

Os espanhóis Luis Enrique (seleção de Espanha) e Julen Lopetegui (Sevilha e ex-FC Porto), o holandês Erick Ten Hag (Ajax de Amesterdão), o inglês Brendan Rogers (Leicester) e o argentino Maur´cio Pochetino (PSG) são outros nomes falados.

O jornal The Telegraph junta ainda o improvável nome de Rúben Amorim (Sporting CP) à lista de possibilidades.

Confrontado logo no domingo com a possibilidade de deixar a seleção de Espanha, com a qual se acabou de apurar para o Mundial 2022, para assumir o Manchester United, Luis Enrique, que alguma imprensa inglesa coloca como o preferido de Cristiano Ronaldo, reagiu com ironia: "É dia das mentiras, hoje?"

Mais a sério, o espanhol não fechou a parta, lembrou que "o futuro muda a cada 15 segundos", mas garantiu ser "muito feliz" onde está.

A imprensa está a adiantar, por fim, o rumor de que a prioridade dos donos do Manchester united será mesmo Zidane e que estariam dispostos a esperar até final da temporada para garantir a contratação do francês, que a 23 de junho de 2022 celebra 50 anos, ou de outro "manager" com credenciais firmadas no futebol mundial.