This content is not available in your region

Presidente ucraniano acusa Rússia de apoiar tentativa de golpe de Estado

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP, AP
euronews_icons_loading
Kiev, Ucrânia
Kiev, Ucrânia   -   Direitos de autor  Euronews/AP

O presidente ucraniano diz que os serviços secretos do seu país descobriram que está a ser preparado um golpe de Estadoapoiado pela Rússia e que deverá acontecer na próxima semana.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov,já negou as acusações, dizendo que a Rússia não se envolve em situações como esta  e que não tem planos para fazê-lo. Mas Volodymyr Zelensky diz-se preparado para o que der e vier garantindo ter "controlo total" sobre as fronteiras e que estão "totalmente preparados para qualquer situação".

Zelenskyy recusou-se a revelar mais detalhes dizendo apenas que não planeia fugir do país

O presidente referiu ainda que o seu chefe de gabinete, Andriy Yermak, estará em breve em contacto com as autoridades russas a pedido do Presidente do Conselho EuropeuCharles Michel e da Chanceler alemã Angela Merkel.

Já o secretário-geral da NATOlançava advertências e alertas a Moscovo, isto depois de a Rússia ter concentrado, pela segunda vez este ano, artilharia pesada e tropas de combate nas fronteiras da Ucrânia. Jens Stoltenberg explicava que estão _"_a monitorizar de muito perto esta situação" que recolhem e partilham informação e que enviaram "uma mensagem clara à Rússia: eles precisam de desacelerar, reduzir as tensões, ser transparentes" tendo também alertado para o facto de que "qualquer uso de força contra a Ucrânia terá consequências, terá custos para a Rússia".

Zelensky afirmou que os serviços secretos têm gravações áudio de um alegado encontro entre representantes oficiais russos e ucranianos no qual se debateu um plano para um golpe, supostamente, financiado pelo oligarca mais rico da Ucrânia, Rinat Akhmetov.