EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Vulcão Cumbre Vieja a caminho do recorde e com potencial para destino turístico

O vulcão continuua a iluminar as noites de La Palma
O vulcão continuua a iluminar as noites de La Palma Direitos de autor EPA/Miguel Calero
Direitos de autor EPA/Miguel Calero
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A erupção de La Palma começou a 19 de setembro, já leva 75 dias e está a menos de 10 da maior já ocorrida na ilha. Novo cone concentra agora a maior atividade

PUBLICIDADE

Os cientistas que acompanham a erupção do Cumbre Vieja pediram para que o cone principal, as crateras e os fluxos de lava permaneçam intactos no futuro se forma a serem utilizados como local de estudo.

Ao mesmo tempo, os vulcanólogos defendem a criação de uma reserva natural, que, para além de investigadores e cientistas, pode vir a atrair visitantes à ilha de La Palma.

A erupção em La Palma começou há 75 dias. Os cientistas acreditam que o vulcão vai estabelecer um novo recorde para a erupção mais longa nesta ilha das canárias.

O atual recorde é de 84 dias de erupção e foi registado em 1585.

A atividade do vulcão de La Palma continua concentrada no novo cone, que surgiu há poucos dias. A qualidade do ar melhorou na quinta-feira. Alguns habitantes foram autorizados a entrar na área evacuada e regressar às respetivas casas para limpar o espaço ou recuperar pertences. 

As condições continuam favoráveis para o tráfego aéreo e o número de sismos a profundidades superiores a 20 quilómetros diminuiu nas últimas horas.

De acordo com os últimos dados, a área afetada já ultrapassa os 1.100 hectares e os rios de lava que correm para as águas do Atlântico já geraram mais de 48 hectares de território na ilha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cumbre Vieja adormece e coloca cientistas em alerta

Novas escavações em Pompeia revelam santuário invulgar com paredes azuis

Vulcão na península de Reykjanes volta a entrar em erupção