This content is not available in your region

Papa começou visita à Grécia

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa
Papa começou visita à Grécia
Direitos de autor  Alessandra Tarantino/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

Depois de dois dias em Chipre, o Papa chegou este sábado a Atenas para a segunda parte de uma visita dedicada aos migrantes e ao reforço dos laços entre o Vaticano e as igrejas ortodoxas.

Francisco foi recebido pela Presidente Katerina Sakellaropoulou. Na primeira intervenção, destacou o papel da Grécia enquanto berço da civilização ocidental e da democracia e defendeu a dignidade dos refugiados. Denunciou “um retrocesso na democracia”, não apenas no continente europeu e considerou que "o autoritarismo é expedito e as promessas fáceis propostas pelos populismos mostram-se atraentes"."Em diversas sociedades, preocupadas com a segurança e anestesiadas pelo consumismo, o cansaço e o mal-estar levam a uma espécie de ceticismo democrático", afirmou o líder da Igreja Católica.

O Papa disse esperar que a resposta "às seduções do autoritarismo" seja "a democracia", e que "à indiferença individualista se oponha o cuidado com o outro”, para que haja “um humanismo renovado"."Que é aquilo de precisam os nossos tempos e a nossa Europa", afirmou.

Em Atenas, Francisco irá encontrar-se com o líder da Igreja Ortodoxa da Grécia, com líderes políticos e com com membros da pequena comunidade católica do país. Amanhã, regressará à ilha de Lesbos, no Mar Egeu, que visitou há cinco anos, para se encontrar com migrantes.

As autoridades gregas proibiram protestos e grandes reuniões públicas este fim-de-semana em algumas zonas do centro de Atenas. Perto de 4 mil polícias foram destacados para acompanhar a visita do papa.