Covid-19: Hospital francês teme aumento de casos no início do ano

Covid-19: Hospital francês teme aumento de casos no início do ano
Direitos de autor Daniel Cole/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Nara Madeira com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Propagação da Ómicron em França pode levar a aumento de casos de Covid e mais internamentos no início de 2022 temem funcionários de unidade gaulesa.

PUBLICIDADE

Num hospital nos arredores de Paris, o Antoine Béclère,  o pessoal preparar-se para um início de ano que "promete ser atarefado", já que os casos Covid-19 estão a aumentar no país à medida que a nova variante Ómicron se propaga no país.

Após dois anos de pandemia, com as suas múltiplas vagas médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar estão exaustos. O responsável pelo serviço de Anestesiologia e Cuidados Intensivos explicava que, até aqui têm-se mantido ativos mas que o "cansaço começa a tomar conta do pessoal". Charles Damoisel acrescentava que estão numa situação em que têm de saber como "gerir as equipas e preparar-se para outras vagas", uma "visão de longo prazo" e não de gestão do dia-a-dia.

Neste hospital o número de internados devido à doença na UCI é pequeno, eram apenas seis, ainda assim temia-se um aumento no número de casos, sobretudo entre as pessoas não vacinadas.

Uma enfermeira dos Cuidados Intensivos, Shanon Poly, desabafava ser "desmoralizante" tratar apenas pacientes Covid, porque não foi para isso que escolheu esta profissão, nem para estar exposta a este vírus. Especialmente, referia, porque a maioria dos pacientes são pessoas não vacinadas. Dizia ainda que é "psicologicamente cansativo lutar para tentar tratar pessoas que ocupam camas de cuidados intensivos, quando isso poderia ser evitado".

Uma doença que trocou as voltas ao mundo, em todos os sentidos e que está longe de estar controlada. A maioria dos países pelo mundo, aposta na vacinação como forma de evitar, pelo menos, formas graves de infeção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Setor da aviação prevê ano histórico em 2024

Polícia alemã ataca grupo extremista antissistema

Covid longa afeta milhares de pessoas em Inglaterra