This content is not available in your region

Presidente libanês pede diálogo nacional

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Michel Aoun, Presidente do Líbano
Michel Aoun, Presidente do Líbano   -   Direitos de autor  AFP PHOTO / HO / DALATI AND NOHRA

O presidente do Líbano pediu o fim do impasse político que já dura no país há quase três meses.

Michel Aoun culpou implicitamente o aliado Hezbollah pela impossibilidade do governo reunir. O grupo xiita exigiu o afastamento do juiz que investigou a explosão no porto de Beirute, no ano passado. O Hezbollah acusa o juiz de parcialidade e os aliados do grupo no governo não assistem às reuniões do gabinete até que o executivo encontre uma forma de o afastar.

Durante um discurso na televisão, Aoun disse que a sua autoridade foi posta em causa e que foi injustamente criticado. Defendeu que instituições públicas paradas resultam na destruição do Estado e pediu a reunião urgente do governo para resolver “os problemas pendentes”.

O bloqueio das instituições tem consequências diretas sobre a ajuda internacional. Durante a visita ao Líbano, na semana passada, o Secretário-Geral da ONU deixou claro que só há ajuda internacional se o impasse for ultrapassado.

O primeiro-ministro libanês tenta uma solução. Esta terça-feira, disse que as conversações com o Fundo Monetário Internacional estão a aproximar-se de uma "fórmula final" para um projeto de acordo antes do final de fevereiro.

Najib Mikati disse que o governo está a fazer "o trabalho de casa" antes das conversações com o FMI, já no próximo mês.