This content is not available in your region

Mais uma jornalista assassinada no México

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP
euronews_icons_loading
Morta a tiro mais uma jornalista no México
Morta a tiro mais uma jornalista no México   -   Direitos de autor  AP

Lourdes Maldonado tornou-se na segunda jornalista mexicana a ser assassinada numa semana em Tijuana, na fronteira com a Califórnia. A terceira no país desde o início do ano. 

Maldonado foi encontrada morta a tiro dentro de um carro por uma equipa de socorro, isto depois de ter sido recebida uma chamada no número de telefone das emergências a alertar para a situação.

A jornalista escrevia para a publicação semanal "Séptimo Día" que existe há quase 15 anos. Em 2019, numa conferência de imprensa do presidente mexicano Lopes Obrador pedia apoio e justiça laboral e dizia temer pela sua vida.

Há poucos dias, como referia um outro jornalista, Joaquín López Dóriga, já depois de se saber da sua morte, a jornalista ganhava e tornava público um processo laboral contra o antigo governador do estado mexicano da Baixa Califórnia, Jaime Bonilla, que durava há nove anos, ligado a uma empresa de comunicação, da qual é proprietário, e para a qual esta trabalhou.

O fotojornalista Margarito Martínez tinha sido morto a tiro a 17 de janeiro.

Sete dias antes tinha o jornalista José Luis Gamboa Arenas, diretor de uma publicação digital que denunciava problemas de segurança e políticos no país.

De acordo com os Repórteres sem Fronteiras pelo menos sete jornalistas foram assassinados no México em 2021, o que o faz deste o país com mais profissionais dos média mortos, em todo o mundo.