EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Lembrar o massacre de Babi Yar num novo momento de tensão na Ucrânia

Lembrar o massacre de Babi Yar num novo momento de tensão na Ucrânia
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Delegação europeia visita a ravina em Kiev onde foram massacradas mais de 100 mil pessoas na II Grande Guerra. As lições da História

PUBLICIDADE

Babi Yar. Mais de o que uma mera ravina na capital da Ucrânia, é um monumento a um dos episódios mais sangrentos da história soviética na Ucrânia: um massacre cometido pelos nazis na II Guerra Mundial. Uma delegação europeia esteve no local para lembrar a história e homenagear as vítimas.

Quase 34 mil ucranianos civis judeus terão sido chacinados, nos dias 29 e 30 de setembro de 1941, em Babi Yar. Nos meses seguintes, milhares de outros judeus e não judeus russos acabariam também executados naquela ravina. Presume-se que mais de 100 mil pessoas tenham sido, ali, chacinadas pelos nazis.

"É uma vala comum", resume Yossi Lempkowicz, ochefe de redação da agência "European Jewish Press", sediada na Bélgica.

"Por muitos anos, o Babi Yar não foi conhecido", conta-nos o jornalista, e prossegue, apontando responsáveis: "Não sabíamos o que aqui tinha acontecido porque foi mantido em segredo durante o período soviético, mas também depois, pela Ucrânia."

Um muro foi levantado na ravina para lembrar os mais de 100 mil assassinados em Babi Yar, um episódio marcante da História, agora recordado em tom de aviso devido à atual tensão militar no leste da Ucrânia.

"Nunca sabemos o que pode acontecer numa situação de guerra quando há soldados não muito longe, na fronteira, a caminho daqui. Nunca sabemos o que vai acontecer no dia seguinte. Os judeus que aqui viveram antes não tinham ideia de que um dia iriam ser trazidos para cá e massacrados", diz Alexander Benjami, diretor da Associação Judaica Europeia (AJE).

A AJE organizou uma delegação de ministros, deputados, senadores e embaixadores de toda a Europa para uma visita esta semana a Kiev. Na terça-feira, o grupo esteve na ravina de Babi Yar e esta quinta-feira celebram na capital da Ucrânia o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia lembra massacre de Babi Yar

Ucrânia homenageia vítimas de Babi Yar

Senado francês lembra vítimas do regime nazi na Ucrânia e aponta o dedo a Kiev