This content is not available in your region

Sergei Lavrov acusa NATO de provocar Moscovo

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Sergei Lavrov acusa NATO de provocar Moscovo
Direitos de autor  Alexei Nikolsky/Sputnik

A ofensiva militar russa na Ucrânia não passa, por enquanto, de uma ameaça temida pelo Ocidente, mas a nível diplomático, as ofensivas sucedem-se de parte a parte. Esta quarta-feira, Sergei Lavrov, acusou a NATO de provocar Moscovo com o fornecimento de armas à Ucrânia, e garantiu que a defesa da Rússia e dos seus cidadãos era uma prioridade absoluta:

Se o Ocidente continuar o seu rumo agressivo, Moscovo vai, tal como o Presidente já disse em mais de uma ocasião, tomar as medidas de retaliação necessárias.
Sergei Lavrov
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia

O chefe da diplomacia russa apelou à calma e anunciou uma visita da diplomacia do Reino Unido nas próximas semanas. Liz Truss tem sido uma das principais críticas do Kremlin:

"Estamos a ajudar a Ucrânia com armamento defensivo e apoio económico. Apelamos à Rússia para desistir de uma ofensiva e queremos deixar claro que se isso acontecer, a Rússia terá de pagar severamente em termos económicos."

Em Paris, representantes de Rússia, Ucrânia, França e Alemanha tentam encontrar uma solução mas para Lavrov, o Ocidente está apenas à procura de um pretexto para enterrar o Protocolo de Minsk, assinado em 2014 para colocar um ponto final ao conflito na Crimeia.