EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Maior "tranquilidade" na Europa em relação à pandemia diz OMS

Maior "tranquilidade" na Europa em relação à pandemia diz OMS
Direitos de autor frame
Direitos de autor frame
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No entanto, diretor-geral da OMS alerta que crise sanitária ainda está longe do fim.

PUBLICIDADE

A Europa está a entrar num período de maior tranquilidade em relação à pandemia. Enquanto alguns governos anunciam o fim mais ou menos imediato das restrições para combater a COVID-19, a Organização Mundial da Saúde fala numa “oportunidade única” para a Europa - graças à elevada taxa de vacinação; à chegada iminente da primavera e à relativa "leveza" da variante omicron.

Este contexto - que não vivemos até agora nesta pandemia - dá-nos a possibilidade de um longo período de tranquilidade e um nível muito maior de defesa da população contra qualquer ressurgimento da transmissão, mesmo com uma variante mais virulenta. Este período de maior proteção deve ser visto como um "cessar-fogo" que nos pode trazer uma paz duradoura, sob condição de consolidar e preservar a imunidade mantendo a vacinação e o reforço.
Dr Hans Kluge
diretor da OMS Europa

O diretor da OMS Europa também acrescentou que o território europeu se deve se concentrar na proteção dos mais vulneráveis e na promoção da responsabilidade individual, enquanto intensifica a vigilância para detetar novas variantes.

Com maior otimismo, o cenário na Europa parece diferente do resto do mundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que a pandemia ainda está longe do fim.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estudo da OMS revela que um em cada seis jovens é vítima de cyberbullying na Europa

Surto de sarampo na Europa: casos aumentaram 30 vezes no período de um ano

Guterres diz que rejeição israelita da solução dos dois Estados é "inaceitável"