Noiva de Jamal Khashoggi pede mais empenho a Ancara

Hatice Cengiz
Hatice Cengiz Direitos de autor Lefteris Pitarakis/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Hatice Cengiz teme que a morte do jornalista seja esquecida com a aproximação entre Ancara e a Arábia Saudita

PUBLICIDADE

Apesar da aproximação da Turquia com a Arábia Saudita, a noiva de Jamal Khashoggi pede a Ancara para continuar a insistir na justiça.

O jornalista de 59 anos foi assassinado dentro do Consulado Saudita em Istambul, em 2018. Khashoggi era um crítico saudita que escrevia para o The Washington Post e que tinha ido ao consulado tratar dos documentos para o casamento com Hatice Cengiz.

Foi desmembrado no consulado e os seus restos mortais nunca foram encontrados.

"Não levantei a minha voz só porque as relações se tinham deteriorado, e por isso não vou deixar de falar quando os países voltarem a ter relações normais. O que estou a pedir, o que estou a fazer é uma luta pelos direitos e pela justiça. Mataram uma pessoa, e nem sequer sabemos onde está, ninguém merece esse tratamento", diz Hatice Cengiz.

A morte de Jamal Khashoggi teve a condenação da comunidade internacional que acusou o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, de autorizar o assassinato.

Na altura, o presidente turco disse que a ordem para matar partiu dos mais altos níveis do governo saudita.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Príncipe herdeiro saudita na Europa com negócios em carteira

ONU diz que EUA devem impor sanções a bin Salman

Soluções para os principais desafios dos mercados de trabalho globais debatidas em Riade