This content is not available in your region

Noiva de Jamal Khashoggi pede mais empenho a Ancara

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Hatice Cengiz
Hatice Cengiz   -   Direitos de autor  Lefteris Pitarakis/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved

Apesar da aproximação da Turquia com a Arábia Saudita, a noiva de Jamal Khashoggi pede a Ancara para continuar a insistir na justiça.

O jornalista de 59 anos foi assassinado dentro do Consulado Saudita em Istambul, em 2018. Khashoggi era um crítico saudita que escrevia para o The Washington Post e que tinha ido ao consulado tratar dos documentos para o casamento com Hatice Cengiz.

Foi desmembrado no consulado e os seus restos mortais nunca foram encontrados.

"Não levantei a minha voz só porque as relações se tinham deteriorado, e por isso não vou deixar de falar quando os países voltarem a ter relações normais. O que estou a pedir, o que estou a fazer é uma luta pelos direitos e pela justiça. Mataram uma pessoa, e nem sequer sabemos onde está, ninguém merece esse tratamento", diz Hatice Cengiz.

A morte de Jamal Khashoggi teve a condenação da comunidade internacional que acusou o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, de autorizar o assassinato.

Na altura, o presidente turco disse que a ordem para matar partiu dos mais altos níveis do governo saudita.