EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ballet contra a Guerra

Minuto de silêncio pelo povo ucraniano
Minuto de silêncio pelo povo ucraniano Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Saint-Petersburg Festival Ballet está contra a invasão da Ucrânia

PUBLICIDADE

A companhia russa Saint-Petersburg Festival Ballet está, atualmente, em digressão pela Europa e não ficou alheia ao que se está a passar na Ucrânia.

Em Montluçon, em França, o hino ucraniano ouviu-se no auditório... Em palco, o presidente da autarquia local juntou-se a uma jovem ucraniana que faz parte da companhia.

"Somos uma produção internacional, além de russos, temos ucranianos, húngaros, alemães, pessoas da Letónia, da Polónia, de toda a Europa, Somos uma família, e somos contra a guerra", sublinhou a diretora da companhia Irena Veres.

Um pouco por todo o mundo, os artistas russos, que não condenem o regime de Vladimir Putin, têm visto os contratos e os espetáculos cancelados.

Em Montluçon, o presidente da Câmara Municipal, Frédéric Laporte, quis transmitir uma mensagem de paz.

"Esta noite é um pouco especial porque é um ballet de São Petersburgo, e hoje a Rússia está no centro das notícias. Não as notícias culturais infelizmente, mas notícias quentes, assassinas e bélicas, por isso quis transmitir uma mensagem de paz à diretora da companhia, para lhe dizer quão próximos estão os povos russo e francês, e que sempre foram amigos, e o quanto a Europa precisa de paz e encontrar, rapidamente, uma saída para a situação", disse.

O Saint-Petersburg Festival Ballet continua a digressão por França sem nunca deixar de demonstrar solidariedade com o sofrimento do povo da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O "Íris Branco", 40° álbum da saga Astérix já está a venda

Centenas de milhar de pessoas ocupam Bayonne com o arranque das festas

Putin ameaça a Alemanha: Rússia pode fornecer armas para atingir alvos ocidentais