This content is not available in your region

Rússia lança alerta de guerra biológica na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
Rússia lança alerta de guerra biológica na Ucrânia
Direitos de autor  AP/AP

A Rússia usou uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas para alertar para o que diz ser a preparação de armas biológicas e químicas por parte dos Estados Unidos na Ucrânia. No entanto, a apresentação deste argumento perante a ONU não foi acompanhada por qualquer prova e foi criticada como demagógica pelo Ocidente e pela Ucrânia. O embaixador russo brandiu perante os diplomatas ocidentais o cenário de uma nova pandemia causada pela guerra biológica.

"Apelamos a que reflitam sobre uma ameaça biológica muito real para a população dos países europeus, que pode resultar da propagação descontrolada de bioagentes da Ucrânia, que tal como vimos com a Covid-19, são impossíveis de parar. Num cenário semelhante, toda a Europa seria afetada", disse Vassili Nebenzya.

Apelamos a que reflitam sobre uma ameaça biológica muito real para a população dos países europeus.
Vassili Nebenzya
Embaixador da Rússia na ONU

Para a Ucrânia e Estados Unidos, isto pode ser um indício de que a Rússia se prepara para usar este tipo de armamento e depois culpar os outros países.

** Sergiy Kyslytsya**, embaixador da Ucrânia na ONU, disse: "Pode ser um indício que a Rússia está a preparar outra horrível operação de bandeira falsa (false flag). O que vão usar mais contra a Ucrânia? Mísseis de cruzeiro? Lançadores de rockets múltiplos? Pesados bombardeamentos aéreos? Já passámos por isso tudo. O que vem a seguir? Amoníaco? Fósforo?

Nicolas de Rivière, embaixador de França, lembrou os precedentes de uso de armas químicas por parte de aliados da Rússia, nomeadamente a Síria: "Vamos lembrar os factos. Foi a Rússia, e não a Ucrânia, que recorreu a armamento químico em território europeu recentemente. É também a Rússia que está a tentar dissimular, através de desinformação, ataques químicos do regime sírio. A França está muito preocupada com a possibilidade que esta campanha de desinformação possa ser orquestrada pela Rússia como prelúdio para a utilização de armas químicas na Ucrânia", disse.