This content is not available in your region

Prédio de 12 andares atingido por um míssil em Kiev

Access to the comments Comentários
De  euronews  com Lusa, AP, The Kyiv Independent
euronews_icons_loading
Prédio de 12 andares atingido por um míssil em Kiev
Direitos de autor  Felipe Dana/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

Kiev foi novamente alvo de bombardeamentos. Um prédio de 12 andares foi atingido por um míssil das tropas russas durante esta madrugada, já durante o recolher obrigatório imposto pela Câmara de Kiev. 

Duas pessoas ficaram feridas e outras 37 tiveram de ser retiradas do edifício. 

Ucrânia diz ter abatido aviões, drones e mísseis de cruzeiro russos

Forças Armadas da Ucrânia anunciaram terem abatido oito helicópteros russos, três drones e dois mísseis de cruzeiro nas últimas 24 horas.

"Como resultado do trabalho das unidades das Forças de Defesa da Ucrânia na área de Chernobyl, o inimigo perdeu sete helicópteros de combate", informaram as Forças Armadas, num comunicado publicado na rede social Facebook.

A Força Aérea ucraniana garantiu ainda ter abatido "um helicóptero inimigo, três veículos aéreos não tripulados táticos operacionais [também conhecido por drones] e dois mísseis de cruzeiro", segundo a agência de notícias ucraniana Unian.

"O inimigo não cumpriu as tarefas de derrotar os grupos das Forças Armadas da Ucrânia e atingindo as fronteiras administrativas (…) de Donetsk e Luhansk", referiu o comunicado.

Na terça-feira, o exército russo " não realizou operações ofensivas ativas na direção da Polésia", no norte da Ucrânia, acrescentaram as Forças Armadas.

"Como resultado das ações efetivas das Forças Armadas da Ucrânia, o inimigo sofre perdas significativas em mão de obra e equipamentos e tem problemas com o fornecimento de munição às tropas", defende-se no comunicado.

De acordo com o Exército ucraniano, as tropas russas estão a bloquear o acesso pelo sul à cidade de Sumy e à cidade de Izium, mas "não têm tido êxito" na ofensivas.

"A pior situação permanece na área de Mariupol, onde o inimigo tenta bloquear a cidade nos subúrbios", sublinha-se no comunicado das Forças Armadas.

Até agora, "o inimigo perdeu até 40% das unidades que participam da chamada 'operação' na Ucrânia", aponta-se no comunicado, e que "o inimigo está exausto e desmoralizado".

Por volta da meia-noite (22:00 em Lisboa), navios de guerra russos dispararam mísseis e artilharia na costa marítima ucraniana perto de Tuzla, ao sul de Odessa, disse o assessor do Ministério do Interior ucraniano.

Anton Gerashchenko afirmou que a Rússia queria testar o sistema de defesa costeira da Ucrânia e que não houve tentativa de desembarque de tropas.