União Europeia discute novas sanções contra Moscovo depois do massacre de civis em Bucha

Massacre de civis em Bucha - Ucrânia
Massacre de civis em Bucha - Ucrânia Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Massacre deu origem a uma vaga de condenações e acusações de crimes de guerra por parte da comunidade internacional.

PUBLICIDADE

As imagens chocaram o mundo. O massacre de civis em Bucha a aproximadamente trinta quilómetros a noroeste de Kiev, deu origem a uma vaga de condenações e acusações de crimes de guerra por parte da comunidade internacional. A retirada das tropas russas deixou um rastro de cadáveres nas ruas algemados e baleados à queima-roupa.

A União Europeia está a discutir novas sanções contra Moscovo, com carácter de "urgência". Em comunicado, condena os massacres e pede a Putin que pare com a guerra. A questão de um embargo ao petróleo e gás russos também está a ser discutida.

O que acabou de acontecer em Bucha exige um novo pacote de sanções e medidas muito claras. Coordenaremos com nossos parceiros europeus, principalmente com a Alemanha, e tomaremos mais medidas individuais. Sou a favor de um novo pacote de sanções - em particular em relação ao carvão e petróleo. É preciso agir.
Emmanuel Macron
Presidente de França

A Rússia nega as acusações e pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança.

Rejeitamos categoricamente quaisquer acusações. Além disso, acreditamos que esta questão deve ser discutida ao mais alto nível possível. Portanto, foi nossa iniciativa discutir esta questão no Conselho de Segurança [da ONU]. E sabemos que esta iniciativa foi bloqueada".
Dmitri Peskov
Porta-voz do Kremlin

Na versão das autoridades da Rússia, as imagens que chocaram o mundo são falsas assim como os testemunhos de sobreviventes após a retirada das tropas russas

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três mortos em ataques russos a várias cidades ucranianas

Zelenskyy admite "situação extremamente difícil" na linha da frente

Ucrânia retira de Avdiivka depois de ter resistido durante 4 meses