Alegações de crimes de guerra na Ucrânia

Autoridades ucranianas acusam russos de cometerem atrocidades
Autoridades ucranianas acusam russos de cometerem atrocidades Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Autoridades da Ucrânia denunciam crimes de guerra. Ocidente avança com mais sanções contra a Rússia e Moscovo nega acusações

PUBLICIDADE

A União Europeia, os Estados Unidos da América e os aliados vão endurecer as sanções contra o Kremlin. Bruxelas propôs que os 27 deixem de comprar carvão russo e fechem os portos aos navios operados pela Rússia. A Casa Branca vai proibir qualquer novo investimento na Rússia, após alegações de crimes de guerra na Ucrânia.

As novas penalizações vão ao encontro do pedido que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, fez esta terça-feira perante o Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"Dirijo-me a vós em nome das pessoas que honram a memória dos que morrem todos os dias, em memória dos civis que morreram, que foram baleados e mortos na nuca depois de terem sido torturados. Alguns deles foram baleados nas ruas, outros foram atirados para os poços, por isso morreram ali em sofrimento. Foram assassinados nos seus apartamentos, casas, destruídos por granadas. Os civis foram esmagados por tanques enquanto estavam dentro dos seus carros, na estrada", afirmou o chefe de Estado ucraniano.

Nos últimos dias, imagens provenientes da cidade ucraniana de Bucha chocaram o mundo. Centenas de cadáveres espalhados pelas ruas. Civis que alegadamente foram assassinados pelos soldados russos.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia continua a negar o massacre e acusa Kiev e o Ocidente de alimentarem a histeria, colocando em risco as conversações de paz.

Segundo Sergey Lavrov, "nos últimos dias, a máquina de propaganda do Ocidente e da Ucrânia tem trabalhado, exclusivamente, para alimentar a histeria em torno do vídeo, que foi filmado, segundo sabemos, pelos militares ucranianos, o serviço de segurança ucraniano na cidade de Bucha, região de Kiev. A questão é: qual é o motivo por detrás desta provocação abertamente falsa, que não pode ser justificada? Estamos inclinados a pensar que a razão é encontrar um pretexto para quebrar as conversações em curso no preciso momento em que vemos luz, embora fraca".

As autoridades ucranianas temem que as forças invasoras russas estejam a cometer mais crimes de guerra em outras partes do território.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vinte refugiados ucranianos chegam ao Japão

Ataques russos na Ucrânia fazem pelo menos oito mortos

Pentágono promete envio imediato de armas à Ucrânia, se financiamento for aprovado