This content is not available in your region

A difícil adaptação de franceses e outros estrangeiros ao Reino Unido

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
A difícil adaptação de franceses e outros estrangeiros ao Reino Unido
Direitos de autor  euronews

Franck Raymond é um chefe que vive em Londres há mais de duas décadas, um francês que tem orgulho em dizer que nunca mais voltará a viver na sua pátria. Desde o Brexit diz,porque é aquilo em que acredita, os viticultores franceses tentaram, deliberadamente, dificultar a transição para as empresas britânica****s. Explica que antes "era mais fácil" fazer negócio e "um pouco mais barato". Hoje têm dificuldade "em trazer vinho francês. Muita dificuldade. Mas, para trazer vinho espanhol e italiano não" têm "qualquer problema". Para este chefe o responsável é a "burocracia, nada mais".

As experiências desde o Brexit têm variado e não apenas para os franceses. Mas, é verdade que muitos cidadãos europeus decidiram deixar o país. Os dados sobre o emprego sugerem que houve 9% menos cidadãos da União Europeia a trabalhar na Grã-Bretanha no ano passado do que antes do Brexit. Mas muitos acreditam que o número é muito superior a este.

Luke Hanrahan, correspondente da Euronews no Reino Unido, referia que se diz "que a população francesa", em Londres, "é famosa por ser mais expressiva do que em Estrasburgo, Nantes ou Bordéus, mas desde Brexit, os franceses dizem ter enfrentado uma crescente de xenofobia e as estatísticas confirmam isso".

Segundo o governo, a votação do referendo britânico para deixar a União Europeia foi seguida por um aumento dos crimes de ódio racial e religioso de 15-25% em Inglaterra e no País de Gales.

Karine Reanart é francesa radicada em Londres e admite que apesar de ser feliz "por viver em Londres", desde a Brexit que lhe parece "que por vezes já não" é "bem-vinda". Questionada sobre se pensa regressar a casa respondia: "às vezes, especialmente no último ano".

Já Si Ahmed, outro estrangeiro em Londres, referia que "a primeira pergunta" que lhe fazem é sobre imigração, de onde vem. "Penso que há muito racismo no Reino Unido", dizia, ainda que no passado não ouvissem falar sobre isto. Mas a sua experiência mais recente mostra-lhe que cada vez que conhece um britânico acaba por falar "sobre este tipo de questões, o que me parece um pouco triste", desafaba.

Virginie Houdelette, outra gaulesa em terras de «sua majestade Isabel II», explicava que "quando se é francês fora do Reino Unido" e se quer ir viver para lá, "ter alguma experiência de trabalho ou estudar", se sentem "rejeitados porque é quase impossível" candidatarem-se.

O consulado francês dizia, num determinado momento, que o número de franceses que viviam no Reino Unido era superior a trezentos mil. Nos últimos três anos, os números oficiais mostram um declínio de mais de 40.000. Pessoas que decidiram que vivem melhor fora do Reino Unido.

Outras fontes • Luke Hanrahan