EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Capacetes Brancos da Síria dão formação sobre riscos das armas químicas

Capacetes Brancos da Síria
Capacetes Brancos da Síria Direitos de autor Petr David Josek/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Petr David Josek/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ajudam ucranianos gravando tutoriais nas ruínas.

PUBLICIDADE

Também os sírios foram bombardeados pelo exército russo. Também sofreram e perderam familiares. A Defesa Civil Síria - uma organização de proteção civil – conhecida como os “Capacetes Brancos da Síria” – que trabalha para salvar vidas na zona de conflito faz vídeos nas ruínas do Idlib.

Estes tutoriais servem para dar formação a profissionais da saúde e socorristas ucranianos através da internet. Os sírios identificam-se com a causa ucraniana. A situação atual em Marioupol faz lembrar Aleppo, cidade arrasada em 2015, pelas tropas russas de apoio ao Presidente Bashar Al Assad.

Vivi a experiência aqui na Síria, vivemos debaixo de bombardeamentos durante 11 anos, vivemos a experiência e vimos as vítimas, o que nos fez aprender a salvar vidas, para que possamos ajudar as vítimas da forma correcta e salvar as vidas de milhares de pessoas.
Mohamed Haj Musa
estudante de medicina sírio

Os cidadãos ucranianos estão interessados em formações sobre armas químicas. E as forças de Bashar Al Assad foram acusadas de usarem este tipo de armas de forma repetida. Para os ativistas sírios, ajudar os ucranianos significa também ter esperança na justiça - se um dia Moscovo e Damasco forem responsabilizadas por crimes de guerra. A guerra na Síria fez aproximadamente 500 mil vítimas mortais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hospital pediátrico de Kiev reabre parcialmente uma semana após ataque da Rússia

Hospital pediátrico de Kiev reabre parcialmente uma semana após ataque de mísseis russos

Rússia e China juntas em novo exercício militar