Kiev acusa a Rússia de bombardear rotas de fuga

O "mapa da guerra"
O "mapa da guerra" Direitos de autor Euronews
De  Oleksandra Vakulina
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo segundo dia consecutivo não houve retirada de civis na Ucrânia

PUBLICIDADE

Pelo segundo dia consecutivo, os civis ucranianos não foram retirados das áreas afetadas pela guerra. A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, acusou as forças russas de bloquear e bombardear as rotas de fuga.

Este domingo e segunda-feira ficam marcados por vários bombardeamentos. 

Dois mísseis atingiram a cidade de Dnipro, no centro do país, segundo as informações avançadas pelo governador militar da região.

Em Kharkiv, as áreas residenciais continuam sob ataque. Os residentes da segunda maior cidade da Ucrânia foram aconselhados a permanecer nos abrigos por causa dos ataques consecutivos.

Cinco mísseis terão atingido Lviv, de acordo com o presidente da câmara desta cidade, que fica a cerca de 80 quilómetros da fronteira polaca.

Também nesta segunda-feira, o chefe da Administração Militar de Luhansk pediu aos civis para deixarem a cidade, dizendo que "já não há lugares seguros" nesta região do leste da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Militares ucranianos vão lutar "até ao fim"

Pelo menos seis mortos e dezenas de feridos após novos ataques russos em Kiev e Kharkiv

Pelo menos 30 mortos num dos maiores ataques russos à Ucrânia desde o início da guerra