This content is not available in your region

Orquestra Camunga muda vida de jovens angolanos

De  Chris Burns  & Dinamene Cruz
euronews_icons_loading
Orquestra Camunga muda vida de jovens angolanos
Direitos de autor  euronews

Ao longo da última década, a Orquestra Sinfónica Camunga mudou a vida de muitas crianças e jovens, em Angola.

"A orquestra para mim é a minha casa, é minha família, é meu lugar de conforto", disse à euronews Nelson Bento Afonso, aluno da Orquestra Sinfónica Camunga, um projeto que procura ajudar crianças e jovens pobres a encontrarem um novo caminho na vida e a afastarem-se da deliquência, da toxicodependência ou da prostituição. 

"Camunga significa uma pequena coisa que nasce, cresce e depois brilha. A escola identifica-se com isso porque é um projeto que nasceu tão pequeno, que cresceu, que agora está a brilhar", disse à euronews o fundador da escola de música, Ntumba Malamba Camunga.

euronews
Ntumba Malamba Camunga, fundador da Orquestra Sinfónica Camungaeuronews

Projeto acolhe 450 crianças

Graças às doações, o projeto foi crescendo e acolhe hoje centenas de crianças. "No início, comecei a trabalhar com cinco crianças, depois a escola foi crescendo. Agora temos 450 crianças. Muitas, que começaram desde 2011, também já são professores", contou o diretor da Orquestra Sinfónica Camunga.

Para muitos alunos, a aprendizagem da música e a integração na orquestra representaram um longo caminho. "Tirámos muitas crianças das ruas, do mundo da delinquência, das drogas e da prostituição. Fazemos com que jovens, crianças e adolescentes entendam como devem saber andar e também como devem encarar a sociedade", afirmou Ntumba Malamba Camunga.

O combate à desnutrição é outra das grandes prioridades do projeto. "Se eles não comerem, também não conseguem aprender em condições, porque, é claro, o saco vazio não fica em pé", sublinhou Ntumba Malamba Camunga.

Quando integram o projeto, os alunos aceitam ensinar outros alunos. "O que eu sempre digo a eles? A mão que o recebe de graça deve dar de graça", frisou Ntumba Malamba Camunga.

euronews
Kelson Bento Afonso, aluno da Orquestra Sinfónica Camungaeuronews

Orquestra tem impacto positivo na escolaridade dos jovens

A história de Kelson Bento Afonso é emblemática da forma como a Orquestra Camunga ajuda numerosas crianças e jovens. Depois de ir a uma festa com alguns dos alunos da Orquestra, Kelson visitou a escola e conheceu o diretor. "O diretor veio ter comigo e disse: 'rapaz, já chegaste? Sim, já cheguei aqui'. Ele disse: 'bem-vindo, sente-se'. Eu apreciei o grupo principal. Comoveu o meu coração. Eu disse: 'tenho que ser como eles. Comecei com a viola de arco, mas depois de três meses o professor viu que eu tinha vocação para instrumentos de sopro", recordou Kelson Bento Afonso.

A Orquestra tem um impacto extremamente positivo na vida e na escolaridade das crianças e dos jovens. "As famílias sentiram logo uma diferença de comportamento, começaram a perceber que os meninos passaram a ter mais responsabilidades com a escola", disse à euronews o jornalista angolano Raimundo Salvador.

Mas, por vezes, os estudantes enfrentam alguns percalços. "Eu me deixei levar novamente por más influências, consumi coisas que não deveria. Isso causou-me um problema de saúde nos pulmões", contou Kelson Bento Afonso. 

Na altura, o diretor da Orquestra ficou preocupado com a ausência de Kelson e decidiu ir a casa dele. "Quando ele bateu na porta, não pude acreditar. Ele disse-me: “olha, você é filho. Pai que é pai não abandona o filho”, recordou o aluno. Para o diretor da Orquestra, tratou-se de uma história com um final feliz. "Depois de alguns dias, ele apareceu na orquestra. Quando ele apareceu, dei-lhe um abraço e disse: "Bem-vindo de volta à sua casa.", recordou o diretor da instituição.

euronews
Neide Zuanga, estudante de violino na Orquestra Sinfónica Camungaeuronews

Uma Orquestra que suscita paixões e gera talentos

Para os alunos que moram longe, frequentar a escola exige algum sacrifício. "Nos últimos sete anos, viajei 56 quilómetros para chegar aqui à minha escola de música, e faço isso porque gosto muito de tocar violino" afirmou Delcio Macedo.

"Tenho feito muito sacrifício para ele acordar cedo, às quatro horas, para ele ir para a escola porque ele gosta de música, ele ama. A música está mesmo em sua alma", sublinhou a mãe, Luboya Macedo.

"Eu gosto de música. Alguém que gosta de música tem foco e objetivo. Gosto de música e posso viver da música todos os dias, mesmo com cansaço e tudo, chuva, é sempre importante vir" disse à euronews Neide Zuanga, estudante de música.

Para Kelson Bento Afonso, a Orquestra representou uma tomada de consciência: "São as pessoas a quem vamos ensinar que elas têm de crescer. Só assim é que nós podemos mudar o país".